O Professor tira dúvidas

Fevereiro 24 2015

Depois de ler o ato I de O Príncipe Nabo de Ilse Losa escreve uma continuação possível com pelo menos

 

1 título

2 atos

3 didascálias

4 personagens

 

Título?

Ato II (na casa do músico)

Músico (zangado) – Agora vais para minha casa e vais ver o que é disciplina!

Princesa (zangada) – Deves achar que mandas em mim!?

 

(o músico intrigado sai porta fora)

 

Vizinho da frente - olá!

 

(...)

 

 5º

 

Título

Ato 3 (na rua)

Beatriz (furiosa)– que raiva! Odeio descascar batatas!!!

Príncipe Nabo – tens que aguentar! Não quiseste casar comigo agora…

Mãe – ó filha! estás boa?

Beatriz – Mãe, quero voltar para o palácio!

Mãe – nem pensar! Tu é que não quiseste casar com o príncipe.

 

Ato 4 (no palácio do Príncipe Nabo)

Príncipe – D. Beatriz, podia comprar mais batatas? São duzentos convidados…

Beatriz – tantos?! O que é que eu vou fazer com estes convidados todos?

Príncipe – bem feito!!!

Beatriz – eu não quero descascar batatas!!! Onde está o meu pai?

Príncipe - o teu pai está no trono...

Beatriz - Eu quero falar com ele!!!!

Príncipe - ele não quer falar contigo...

(a princesa fica triste e sai)

 

ato 5 (na floresta)

Avó - vai-te embora para casa que já é tarde...

Beatriz - não, eu quero ficar aqui, quero a minha vida antiga de volta!...

Príncipe - vai-te embora. ninguém te quer aqui...

 

Continuação de Os Piratas de Manuel António Pina 

 

Manuel (com um olhar aterrorizado) – numa certa noite, antes do meu pai ir para a América, levou-me para o cais para ver o «Dover». A caminho, vi um grupo de pessoas estranhas com lanternas…

Ana (curiosa) – quem eram ?!

Manuel – eram pessoas que viviam no outro lado da ilha, ladrões de barcos afundados…

Ana – de que tipos de barcos?

Manuel – de barcos como o «Dover», cheios de cargas preciosas…

Ana – o que é que fizeste?

Manuel – fui tentar impedi-los… mas deram-me uma coronhada na cabeça e desmaiei…

Ana – a sério?!

Manuel – e quando acordei, já estava na minha casa e vi o «Dover» encalhado nas rochas e as pessoas a morrer…

Ana – e o lenço vermelho? E como encalharam nas rochas? (...)

 

---

 

Texto livre

 

Adeus, Stora!

Ato I (à porta da escola)

Sandro – Bom dia, D. Ana!

Diogo – Tudo bem, D. Ana?

  1. A. – Bem, obrigada!

 

Ato II (os alunos descem a rampa)

Sandro (irónico) – És muito bonito!...

Diogo (irónico também) – Obrigado! Tu também…

 

(chega o Micael)

 

Micael – Tudo bem?

Sandro e Diogo – Sim e contigo?

Micael – o quê?! Com essas negativas todas?

Sandro e Diogo (irritados) – Sim, mais as tuas…

 

(toca para entrar)

 

Ato III (à entrada da sala 4, entra o professor de Português)

Prof (muito irritado como sempre) –

Sentar e calar!!!

(Os alunos ignoram…

Sandro atira papéis)

Prof (manda o aluno ir buscar o papel do nia) – é hoje que levas uma falta disciplinar!!!

Sandro – não faça isso!

Prof (muito irritado) – Estou farto disto…

Sandro – ‘Tá bem, eu vou p’ra rua!

(O Sandro sai em direção ao nia)

Ato IV (no nia, o Geovane já lá estava)

Sandro – Geovane, o que estás aqui a fazer?!

Geovane – estava a dormir na aula… outra vez e a fazer perguntas e a chamar os colegas e a riscar a mesa e a fazer desenhos e os professores embirram comigo, né?... Eu não fiz nada e…

Sandro – Tira o barrete!

(chega uma professora)

P (tocando na cabeça do Sandro ao de leve)– sai!

(Sandro levanta-se e exemplifica um golpe de Karaté)

S – Yah!

(?)

(a Profª mostra o seu cinturão negro e...)

 

FIM

 

 

 

 

 

 

 

publicado por OPTD às 14:57

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Um blogue de apoio às minhas aulas e a todos os que gostam de Português, Francês e tudo... Desde 2008.
Fevereiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
17
18
19
20
21

22
25
26
27
28


links
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO