O Professor tira dúvidas

Junho 10 2009

 

 
Grupo 0 – Verificação de leitura
1. O título da peça é Antes de Começar.
2. O nome do autor é Almada Negreiros.
3. Resposta livre.
4. O espaço da peça é um palco.
5. Resposta Livre.
 
Grupo I – Compreensão Escrita
   
1.     
 
a) V
b) F
c) V
d) F
 
Justificações livres, de acordo com o sentido do texto
  
 
2.      Resposta livre com justificação.
3.       Psicologicamente o boneco é curioso e corajoso e a Boneca tímida e cautelosa .
4.     A Boneca não é apenas uma boneca vestida de seda, porque tem um coração.
5.     A Boneca diz que a sua criadora é uma Rainha porque a Boneca é um objecto valioso para ela e porque à volta de Ela tudo é riqueza.
6.     A Boneca não tem razão quando diz que «o que uma pessoa é por dentro é por fora» (l.272), porque nem sempre o que aparentamos é igual ao que somos.
7.     «O coração é maior do que nós!» (l.330), porque o amor é que nos faz pessoas melhores.
8.     A última didascália explica o título e dá informações importantes para actores e encenadores.
9.     A peça a que assistimos acontece antes de uma outra começar.
10.   Resposta livre.
 
Grupo II - Funcionamento da Língua
 
1.     A4, B3, C1, D2.
 
Grupo III – Expressão Escrita
 
 
A.  ,B. ,C.
 
Respostas livres de acordo com as instruções.
 
 
 
publicado por OPTD às 15:44

Junho 10 2009

 

Grupo 0 – Verificação de leitura
Indica as informações seguintes relativas à obra estudada em aula através de frases completas  na tua folha de teste:
 
1. título da peça
2. nome do autor
3. personagem (ns)  principal (ais)
4. caracterização do espaço
5. Resumo da peça (3 linhas MÁXIMO)
 
Grupo I – Compreensão Escrita
 
 Lê com atenção da página 42 à 45 (linhas 224-370) da peça estudada em aula e com base nelas e nos teus conhecimentos globais da peça responde às questões seguintes:
 
 
1.      Assinala com V (verdadeiro) ou F (falso) as seguintes afirmações e corrige as falsas :
 
a) A Boneca achava que era especial.
b) O Boneco tinha facilidade em falar de assuntos mais delicados.
c) Os Bonecos têm muito em comum.
d) O Coração e a Cabeça estão sempre de acordo.
  
RESPOSTAS COMPLETAS!!!
 
2.      Indica a personagem (ns) principal(ais) do texto e justifica a tua opção.
3.     Caracteriza psicologicamente a personagem(ns) principal(ais).
4.     Por que razão a Boneca não é apenas uma boneca vestida de seda? Justifica.
5.     Por que diz a Boneca que a sua criadora é uma Rainha? Justifica.
6.     A Boneca tem razão quando diz que «o que uma pessoa é por dentro é por fora» (l.272)? Justifica.
7.     «O coração é maior do que nós!» (l.330). Explica o que diz o Boneco.
8.     Explica a função e a importância da última didascália.
9.     Explica o título da peça (5 linhas mínimo).
10.   Elabora um texto (5 linhas no mínimo), em que expresses a tua opinião sobre esta peça, justificando o teu ponto de vista.
 
Grupo II - Funcionamento da Língua
 
1.     Associa uma letra a um número e indica as figuras de estilo. Responde na folha de teste!
 

A. A dizer a verdade, eu nunca me enganei… (l.38)
1. exclamação
B. Pareces mais uma menina do que uma boneca! (l.40)
2. metáfora
C. Juro-te pela minha boa sorte!!! (l.108)
3. comparação
D. Era o próprio coração por dentro! (l.235)
4. hipérbole
 
5.pleonasmo

 
 
Grupo III – Expressão Escrita
 
Escolhe uma opção, indica-a na tua folha de teste e constrói um TEXTO (mínimo de 15 linhas). 
 
A.     Cria a peça que os bonecos vão representar para as crianças. Não te esqueças das características do texto dramático e de dar um título à tua peça!
 
B.     Almada Negreiros fala dos Homens através dos Bonecos. Escreve um texto coerente e organizado em que fales das questões tratadas pelo Autor nesta peça : interior / exterior, coração / cabeça, pensar / fazer … e do que pensas sobre estas questões.
 
C. Com base no que conheces do Autor, entrevista-o. Não te esqueças das características da entrevista!
 
 
 
Bom trabalho! José Miranda©
publicado por OPTD às 15:43

Junho 10 2009

 

Joana Viana
7º C, nº 14
Amizade...

A amizade é um desejo perdido,
uma alma desejada
a mão de um amigo,
numa vida fracassada.
 
A amizade é nos bons e nos maus momentos,
ser sempre um ombro amigo,
no meio de muitos sofrimentos,
estarei sempre contigo!
 
Ser amigo é ajudar,
quem está a sofrer,
 uma alma desesperada,
que tem muito para aprender.
 
Alegria

Estar alegre
é saber viver,
para quê chorar,
com tanto p'ra aprender?
 
Alegria é um sorriso,
na cara de uma criança,
a mão de um amigo,
uma nova esperança.
 
Quando estou alegre
até consigo ajudar,
o mais velho mendigo,
que queira voar!
 
O sentimento...
 
O sentimento
é difícil de explicar,
é melhor que o pensamento,
ou um pássaro a voar.
 
O sentimento
permite-nos exprimir
a saudade ou carinho,
que estamos a sentir.
 
É uma coisa maravilhosa,
é o que nos faz viver,
pois se não o tivermos,
mais vale morrer...
 
 
O amor...
 
O amor é como água no meio de um deserto
ou areia no meio do mar,
tu és tudo o que eu mais quero,
o que mais posso desejar.
 
Se eu um dia me fosse,
tu me irias buscar,
por mares e terras profundas
tu ias-me encontrar.
 
Agora que voltei,
já me podes beijar,
vou ser a tua princesa
e tu o meu mar!
 
 
publicado por OPTD às 15:43

Junho 10 2009

 

Clica na imagem para veres melhor este país...

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Portugal

publicado por OPTD às 15:43

Junho 10 2009

A 13 de Junho nascia outro grande poeta Português:

 

http://www.google.pt/search?sourceid=navclient&hl=pt-BR&ie=UTF-8&rlz=1T4ADBF_pt-BRPT291PT292&q=fernando+pessoa

 

 

ANIVERSÁRIO

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu era feliz e ninguém estava morto.
Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos,
E a alegria de todos, e a minha, estava certa com uma religião qualquer.

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu tinha a grande saúde de não perceber coisa nenhuma,
De ser inteligente para entre a família,
E de não ter as esperanças que os outros tinham por mim.
Quando vim a ter esperanças, já não sabia ter esperanças.
Quando vim a olhar para a vida, perdera o sentido da vida.

Sim, o que fui de suposto a mim-mesmo,
O que fui de coração e parentesco.
O que fui de serões de meia-província,
O que fui de amarem-me e eu ser menino,
O que fui — ai, meu Deus!, o que só hoje sei que fui…
A que distância!…
(Nem o acho…)
O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!

O que eu sou hoje é como a umidade no corredor do fim da casa,
Pondo grelado nas paredes…
O que eu sou hoje (e a casa dos que me amaram treme através das minhas lágrimas),
O que eu sou hoje é terem vendido a casa,
É terem morrido todos,
É estar eu sobrevivente a mim-mesmo como um fósforo frio…

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos…
Que meu amor, como uma pessoa, esse tempo!
Desejo físico da alma de se encontrar ali outra vez,
Por uma viagem metafísica e carnal,
Com uma dualidade de eu para mim…
Comer o passado como pão de fome, sem tempo de manteiga nos dentes!

Vejo tudo outra vez com uma nitidez que me cega para o que há aqui…
A mesa posta com mais lugares, com melhores desenhos na loiça,
com mais copos,
O aparador com muitas coisas — doces, frutas o resto na sombra debaixo do alçado—,
As tias velhas, os primos diferentes, e tudo era por minha causa, No tempo em que festejavam o dia dos meus anos…

Pára, meu coração!
Não penses! Deixa o pensar na cabeça!
Ó meu Deus, meu Deus, meu Deus!
Hoje já não faço anos.
Duro.
Somam-se-me dias.
Serei velho quando o for.
Mais nada.
Raiva de não ter trazido o passado roubado na algibeira!…

O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!

 

ÁLVARO DE CAMPOS…

 

publicado por OPTD às 15:40

Junho 10 2009

A festa mais importante de Lisboa, ao Santo Português mais popular e culto.

 

http://www.carosantantonio.it/por/home.asp

 

http://www.leme.pt/biografias/santos/santoantonio/

 

 

 

publicado por OPTD às 15:30

Junho 10 2009

Uma das festas mais antigas da Igreja Católica, a festa do Corpo e Sangue de Cristo.

 

 

http://aquimetem.blogs.sapo.pt/27719.html

 

 

publicado por OPTD às 15:29

Junho 10 2009

Neste dia em 1580, diz a tradição, morreu Camões e, diz-se também, que disse Camões que com ele morria também a Pátria...

 

Descobre mais sobre a vida aventurosa e a obra deste Grande Poeta:

 

http://www.google.pt/search?sourceid=navclient&aq=0&oq=camoes&hl=pt-BR&ie=UTF-8&rlz=1T4ADBF_pt-BRPT291PT292&q=cam%c3%b5es

 

 

 

O dia em que nasci moura e pereça,

O dia em que nasci moura e pereça,
Não o queira jamais o tempo dar;
Não torne mais ao Mundo, e, se tornar,
Eclipse nesse passo o Sol padeça.

A luz lhe falte, O Sol se [lhe] escureça,
Mostre o Mundo sinais de se acabar,
Nasçam-lhe monstros, sangue chova o ar,
A mãe ao próprio filho não conheça.

As pessoas pasmadas, de ignorantes,
As lágrimas no rosto, a cor perdida,
Cuidem que o mundo já se destruiu.

Ó gente temerosa, não te espantes,
Que este dia deitou ao Mundo a vida
Mais desgraçada que jamais se viu!

                     Luís de Camões

 

publicado por OPTD às 15:26

Junho 01 2009

 

 

Direitos da Criança 

 

http://web.educom.pt/~pr1305/crianca_direitos.10.htm 

 

 

Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)
A Criança Que Pensa Em Fadas


 

A CRIANÇA que pensa em fadas e acredita nas fadas 
Age como um deus doente, mas como um deus.
Porque embora afirme que existe o que não existe
Sabe como é que as cousas existem, que é existindo, 
Sabe que existir existe e não se explica, 
Sabe que não há razão nenhuma para nada existir, 
Sabe que ser é estar em algum ponto
Só não sabe que o pensamento não é um ponto qualquer.
 
 

publicado por OPTD às 14:51

Um blogue de apoio às minhas aulas e a todos os que gostam de Português, Francês e tudo... Desde 2008.
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12

15
16
20

21
22
23

28
30


links
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO