O Professor tira dúvidas

Setembro 15 2016

Resultado de imagem para bem-vindos

Este será mais um espaço de apoio ao nosso trabalho.

Abaixo, algumas ligações e informações importantes:

Resultado de imagem para calendário escolar 2016 e 2017

Estatuto do Aluno e da Ética Escolar

Legislação essencial

Página AEJO

 

 

Regras e procedimentos essenciais

 

Ser respeitador:

Tratar com correção todos os elementos da comunidade educativa, colegas, assistentes técnicos/operacionais, professores, encarregados de educação.

Ser cumpridor:

Seguir as instruções dos professores e dos assistentes operacionais.

Ser educado:

Agir com simpatia e nunca praticar atos de violência física ou verbal contra nenhum elemento da comunidade educativa.

Ser solidário:

Pedir ajuda sempre que necessário e ajudar quem precisar de apoio.

Estar informado:

Conhecer o Regulamento Interno do Agrupamento. Estar informado é um direito e um dever de todos.

 

  • Estudar e concentrar-se no trabalho da aula.
  • Apresentar-se com vestuário adequado ao espaço e às atividades escolares.
  • Ter sempre consigo a caderneta escolar.
  • Apresentar o cartão escolar sempre que solicitado.
  • Ter sempre o telemóvel desligado e guardado nas aulas e em todos os locais de estudo e de trabalho.
  • Manter a escola limpa e segura. Preservar as instalações, o equipamento escolar e o espaço exterior.
  • Não atravessar os campos de jogos quando está a decorrer uma aula.
  • Recorrer aos diretores de turma para resolver as situações problemáticas.
  • Trazer todo o material escolar necessário, ser organizado no seu uso e na utilização dos cacifos. Não abandonar os objetos pessoais.
  • Entrar e sair da escola e das salas de aula com ordem e calma. Não correr nem falar alto nos corredores.
  • Manter a cabeça descoberta nas aulas e em todos os recintos cobertos da escola. O boné só faz falta no pátio.
  • Ser assíduo e pontual.
  • Não trazer dinheiro, nem objetos valiosos para a escola.
  • Não mastigar pastilha elástica na sala de aula.
  • ...

Regulamento Interno

 

CAPÍTULO IX Direitos e deveres da comunidade escolar

 

SECÇÃO I Direitos e deveres dos alunos


Artigo 80.º Alunos Os alunos constituem o centro do processo educativo devendo o agrupamento organizar-se com vista à sua educação, formação e desenvolvimento integral.


Artigo 81.º Direitos dos alunos


1 — São direitos dos alunos:


a) Ser tratado com respeito e correção por qualquer membro da comunidade educativa, não podendo, em caso algum, ser discriminado em razão da origem étnica, saúde, sexo, orientação sexual, idade, identidade de género, condição económica, cultural ou social ou convicções políticas, ideológicas, filosóficas ou religiosas;

b) Usufruir do ensino e de uma educação de qualidade de acordo com o previsto na lei, em condições de efetiva igualdade de oportunidades no acesso;

c) Escolher e usufruir, nos termos estabelecidos no quadro legal aplicável, por si ou, quando menor, através dos seus pais ou encarregados de educação, o projeto educativo que lhe proporcione as condições para o seu pleno desenvolvimento físico, intelectual, moral, cultural e cívico e para a formação da sua personalidade;

d) Ver reconhecidos e valorizados o mérito, a dedicação, a assiduidade e o esforço no trabalho e no desempenho escolar e ser estimulado nesse sentido;

e) Ver reconhecido o empenhamento em ações meritórias, designadamente o voluntariado em favor da comunidade em que está inserido ou da sociedade em geral, praticadas na escola ou fora dela, e ser estimulado nesse sentido;

f) Usufruir de um horário escolar adequado ao ano frequentado, bem como de uma planificação equilibrada das atividades curriculares e extracurriculares, nomeadamente as que contribuem para o desenvolvimento cultural da comunidade;

g) Beneficiar, no âmbito dos serviços de ação social escolar, de um sistema de apoios que lhe permitam superar ou compensar as carências do tipo sociofamiliar, económico ou cultural que dificultem o acesso à escola ou o processo de ensino;

h) Usufruir de prémios ou apoios e meios complementares que reconheçam e distingam o mérito;

i) Beneficiar de outros apoios específicos, adequados às suas necessidades escolares ou à sua aprendizagem, através dos serviços de psicologia e orientação ou de outros serviços especializados de apoio educativo;

j) Ver salvaguardada a sua segurança na escola e respeitada a sua integridade física e moral, beneficiando, designadamente, da especial proteção consagrada na lei penal para os membros da comunidade escolar;

k) Ser assistido, de forma pronta e adequada, em caso de acidente ou doença súbita, ocorrido ou manifestada no decorrer das atividades escolares;

l) Ver garantida a confidencialidade dos elementos e informações constantes do seu processo individual, de natureza pessoal ou familiar;

m) Participar, através dos seus representantes, nos termos da lei, nos órgãos de administração e gestão da escola, na criação e execução do respetivo projeto educativo, bem como na elaboração do regulamento interno;

n) Eleger os seus representantes para os órgãos, cargos e demais funções de representação no âmbito da escola, bem como ser eleito, nos termos da lei e do regulamento interno da escola;

o) Apresentar críticas e sugestões relativas ao funcionamento da escola e ser ouvido pelos professores, diretores de turma e órgãos de administração e gestão da escola em todos os assuntos que justificadamente forem do seu interesse.

p) Organizar e participar em iniciativas que promovam a formação e ocupação de tempos livres;

q) Ser informado sobre o regulamento interno do agrupamento e sobre todos os assuntos que justificadamente sejam do seu interesse, nomeadamente, sobre o modo de organização do plano de estudos ou curso, o programa e objetivos essenciais de cada disciplina ou área disciplinar e os processos e critérios de avaliação, bem como sobre a matricula, o abono de família e apoios sócio educativos, as normas de utilização e de segurança dos materiais e equipamentos e das instalações, incluindo o plano de emergência, e, em geral, sobre todas as atividades e iniciativas relativas ao projeto educativo do agrupamento;

r) Participar nas demais atividades do agrupamento, nos termos da lei e nas condições definidas neste regulamento;

s) Participar no processo de avaliação, através de mecanismos de auto e hétero avaliação;

t) Beneficiar de medidas previstas neste regulamento que permitam a recuperação da aprendizagem nas situações de ausência devidamente justificada às atividades escolares.


2 — A fruição dos direitos consagrados nas alíneas g), h) e r) do número anterior pode ser, no todo ou em parte, temporariamente vedada em consequência de medida disciplinar corretiva ou sancionatória aplicada ao aluno pelo diretor.


Artigo 82.º Deveres dos alunos


São deveres dos alunos:


a) Estudar, aplicando -se, de forma adequada à sua idade, necessidades educativas e ao ano de escolaridade que frequenta, na sua educação e formação integral;

b) Ser assíduo, pontual e empenhado no cumprimento de todos os seus deveres no âmbito das atividades escolares;

c) Seguir as orientações dos professores relativas ao seu processo de ensino;

d) Tratar com respeito e correção qualquer membro da comunidade educativa, não podendo, em caso algum, ser discriminado em razão da origem étnica, saúde, sexo, orientação sexual, idade, identidade de género, condição económica, cultural ou social, ou convicções políticas, ideológicas, filosóficas ou religiosas.

e) Guardar lealdade para com todos os membros da comunidade educativa;

f) Respeitar a autoridade e as instruções dos professores e do pessoal não docente;

g) Contribuir para a harmonia da convivência escolar e para a plena integração na escola de todos os alunos;

h) Participar nas atividades educativas ou formativas desenvolvidas na escola, bem como nas demais atividades organizativas que requeiram a participação dos alunos;

i) Respeitar a integridade física e psicológica de todos os membros da comunidade educativa, não praticando quaisquer atos, designadamente violentos, independentemente do local ou dos meios utilizados, que atentem contra a integridade física, moral ou patrimonial dos professores, pessoal não docente e alunos;

j) Prestar auxílio e assistência aos restantes membros da comunidade educativa, de acordo com as circunstâncias de perigo para a integridade física e psicológica dos mesmos;

k) Zelar pela preservação, conservação e asseio das instalações, material didático, mobiliário e espaços verdes da escola, fazendo uso correto dos mesmos.

l) Respeitar a propriedade dos bens de todos os membros da comunidade educativa;

m) Permanecer na escola durante o seu horário, salvo autorização escrita do encarregado de educação ou da direção da escola;

n) Participar na eleição dos seus representantes e prestar-lhes toda a colaboração;

o) Conhecer e cumprir o estatuto do aluno e da ética escolar, as normas de funcionamento dos serviços da escola e o regulamento interno da mesma, subscrevendo declaração anual de aceitação do mesmo e de compromisso ativo quanto ao seu cumprimento integral;

p) Não possuir e não consumir substâncias aditivas, em especial drogas, tabaco e bebidas alcoólicas, nem promover qualquer forma de tráfico, facilitação e consumo das mesmas;

q) Não transportar quaisquer materiais, equipamentos tecnológicos, instrumentos ou engenhos passíveis de, objetivamente, perturbarem o normal funcionamento das atividades letivas, ou poderem causar danos físicos ou psicológicos aos alunos ou a qualquer outro membro da comunidade educativa;

r) Não utilizar quaisquer equipamentos tecnológicos, designadamente, telemóveis, equipamentos, programas ou aplicações informáticas, nos locais onde decorram aulas ou outras atividades formativas ou reuniões de órgãos ou estruturas da escola em que participe, exceto quando a utilização de qualquer dos meios acima referidos esteja diretamente relacionada com as atividades a desenvolver e seja expressamente autorizada pelo professor ou pelo responsável pela direção ou supervisão dos trabalhos ou atividades em curso;

s) Não captar sons ou imagens, designadamente, de atividades letivas e não letivas, sem autorização prévia dos professores, dos responsáveis pela direção da escola ou supervisão dos trabalhos ou atividades em curso, bem como, quando for o caso, de qualquer membro da comunidade escolar ou educativa cuja imagem possa, ainda que involuntariamente, ficar registada;

t) Não difundir, na escola ou fora dela, nomeadamente, via Internet ou através de outros meios de comunicação, sons ou imagens captados nos momentos letivos e não letivos, sem autorização do diretor da escola;

u) Respeitar os direitos de autor e de propriedade intelectual;

v) Apresentar-se com vestuário que se revele adequado, em função da idade, à dignidade do espaço e à especificidade das atividades escolares, no respeito pelas regras estabelecidas na escola;

w) Reparar os danos por si causados a qualquer membro da comunidade educativa ou em equipamentos ou instalações da escola ou outras onde decorram quaisquer atividades decorrentes da vida escolar e, não sendo possível ou suficiente a reparação, indemnizar os lesados relativamente aos prejuízos causados.

 

Bom ano letivo!

 

publicado por OPTD às 07:46

Setembro 20 2015

Este será mais um espaço de apoio ao nosso trabalho.

Abaixo, algumas ligações e informações importantes:

 

 

 

Lei 51/2012 - Estatuto do Aluno e da Ética Escolar

Legislação essencial

 

 

Regras e procedimentos

 

Ser respeitador:

Tratar com correção todos os elementos da comunidade educativa, colegas, assistentes técnicos/operacionais, professores, encarregados de educação.

Ser cumpridor:

Seguir as instruções dos professores e dos assistentes operacionais.

Ser educado:

Agir com simpatia e nunca praticar atos de violência física ou verbal contra nenhum elemento da comunidade educativa.

Ser solidário:

Pedir ajuda sempre que necessário e ajudar quem precisar de apoio.

Estar informado:

Conhecer o Regulamento Interno do Agrupamento. Estar informado é um direito e um dever de todos.

 

  • Estudar e concentrar-se no trabalho da aula.
  • Apresentar-se com vestuário adequado ao espaço e às atividades escolares.
  • Ter sempre consigo a caderneta escolar.
  • Apresentar o cartão escolar sempre que solicitado.
  • Ter sempre o telemóvel desligado e guardado nas aulas e em todos os locais de estudo e de trabalho.
  • Manter a escola limpa e segura. Preservar as instalações, o equipamento escolar e o espaço exterior.
  • Não atravessar os campos de jogos quando está a decorrer uma aula.
  • Recorrer aos diretores de turma para resolver as situações problemáticas.
  • Trazer todo o material escolar necessário, ser organizado no seu uso e na utilização dos cacifos. Não abandonar os objetos pessoais.
  • Entrar e sair da escola e das salas de aula com ordem e calma. Não correr nem falar alto nos corredores.
  • Manter a cabeça descoberta nas aulas e em todos os recintos cobertos da escola. O boné só faz falta no pátio.
  • Ser assíduo e pontual.
  • Não trazer dinheiro, nem objetos valiosos para a escola.
  • Não mastigar pastilha elástica na sala de aula.

RI

 

CAPÍTULO IX Direitos e deveres da comunidade escolar

 

SECÇÃO I Direitos e deveres dos alunos


Artigo 80.º Alunos Os alunos constituem o centro do processo educativo devendo o agrupamento organizar-se com vista à sua educação, formação e desenvolvimento integral.


Artigo 81.º Direitos dos alunos


1 — São direitos dos alunos:


a) Ser tratado com respeito e correção por qualquer membro da comunidade educativa, não podendo, em caso algum, ser discriminado em razão da origem étnica, saúde, sexo, orientação sexual, idade, identidade de género, condição económica, cultural ou social ou convicções políticas, ideológicas, filosóficas ou religiosas;

b) Usufruir do ensino e de uma educação de qualidade de acordo com o previsto na lei, em condições de efetiva igualdade de oportunidades no acesso;

c) Escolher e usufruir, nos termos estabelecidos no quadro legal aplicável, por si ou, quando menor, através dos seus pais ou encarregados de educação, o projeto educativo que lhe proporcione as condições para o seu pleno desenvolvimento físico, intelectual, moral, cultural e cívico e para a formação da sua personalidade;

d) Ver reconhecidos e valorizados o mérito, a dedicação, a assiduidade e o esforço no trabalho e no desempenho escolar e ser estimulado nesse sentido;

e) Ver reconhecido o empenhamento em ações meritórias, designadamente o voluntariado em favor da comunidade em que está inserido ou da sociedade em geral, praticadas na escola ou fora dela, e ser estimulado nesse sentido;

f) Usufruir de um horário escolar adequado ao ano frequentado, bem como de uma planificação equilibrada das atividades curriculares e extracurriculares, nomeadamente as que contribuem para o desenvolvimento cultural da comunidade;

g) Beneficiar, no âmbito dos serviços de ação social escolar, de um sistema de apoios que lhe permitam superar ou compensar as carências do tipo sociofamiliar, económico ou cultural que dificultem o acesso à escola ou o processo de ensino;

h) Usufruir de prémios ou apoios e meios complementares que reconheçam e distingam o mérito;

i) Beneficiar de outros apoios específicos, adequados às suas necessidades escolares ou à sua aprendizagem, através dos serviços de psicologia e orientação ou de outros serviços especializados de apoio educativo;

j) Ver salvaguardada a sua segurança na escola e respeitada a sua integridade física e moral, beneficiando, designadamente, da especial proteção consagrada na lei penal para os membros da comunidade escolar;

k) Ser assistido, de forma pronta e adequada, em caso de acidente ou doença súbita, ocorrido ou manifestada no decorrer das atividades escolares;

l) Ver garantida a confidencialidade dos elementos e informações constantes do seu processo individual, de natureza pessoal ou familiar;

m) Participar, através dos seus representantes, nos termos da lei, nos órgãos de administração e gestão da escola, na criação e execução do respetivo projeto educativo, bem como na elaboração do regulamento interno;

n) Eleger os seus representantes para os órgãos, cargos e demais funções de representação no âmbito da escola, bem como ser eleito, nos termos da lei e do regulamento interno da escola;

o) Apresentar críticas e sugestões relativas ao funcionamento da escola e ser ouvido pelos professores, diretores de turma e órgãos de administração e gestão da escola em todos os assuntos que justificadamente forem do seu interesse.

p) Organizar e participar em iniciativas que promovam a formação e ocupação de tempos livres;

q) Ser informado sobre o regulamento interno do agrupamento e sobre todos os assuntos que justificadamente sejam do seu interesse, nomeadamente, sobre o modo de organização do plano de estudos ou curso, o programa e objetivos essenciais de cada disciplina ou área disciplinar e os processos e critérios de avaliação, bem como sobre a matricula, o abono de família e apoios sócio educativos, as normas de utilização e de segurança dos materiais e equipamentos e das instalações, incluindo o plano de emergência, e, em geral, sobre todas as atividades e iniciativas relativas ao projeto educativo do agrupamento;

r) Participar nas demais atividades do agrupamento, nos termos da lei e nas condições definidas neste regulamento;

s) Participar no processo de avaliação, através de mecanismos de auto e hétero avaliação;

t) Beneficiar de medidas previstas neste regulamento que permitam a recuperação da aprendizagem nas situações de ausência devidamente justificada às atividades escolares.


2 — A fruição dos direitos consagrados nas alíneas g), h) e r) do número anterior pode ser, no todo ou em parte, temporariamente vedada em consequência de medida disciplinar corretiva ou sancionatória aplicada ao aluno pelo diretor.


Artigo 82.º Deveres dos alunos


São deveres dos alunos:


a) Estudar, aplicando -se, de forma adequada à sua idade, necessidades educativas e ao ano de escolaridade que frequenta, na sua educação e formação integral;

b) Ser assíduo, pontual e empenhado no cumprimento de todos os seus deveres no âmbito das atividades escolares;

c) Seguir as orientações dos professores relativas ao seu processo de ensino;

d) Tratar com respeito e correção qualquer membro da comunidade educativa, não podendo, em caso algum, ser discriminado em razão da origem étnica, saúde, sexo, orientação sexual, idade, identidade de género, condição económica, cultural ou social, ou convicções políticas, ideológicas, filosóficas ou religiosas.

e) Guardar lealdade para com todos os membros da comunidade educativa;

f) Respeitar a autoridade e as instruções dos professores e do pessoal não docente;

g) Contribuir para a harmonia da convivência escolar e para a plena integração na escola de todos os alunos;

h) Participar nas atividades educativas ou formativas desenvolvidas na escola, bem como nas demais atividades organizativas que requeiram a participação dos alunos;

i) Respeitar a integridade física e psicológica de todos os membros da comunidade educativa, não praticando quaisquer atos, designadamente violentos, independentemente do local ou dos meios utilizados, que atentem contra a integridade física, moral ou patrimonial dos professores, pessoal não docente e alunos;

j) Prestar auxílio e assistência aos restantes membros da comunidade educativa, de acordo com as circunstâncias de perigo para a integridade física e psicológica dos mesmos;

k) Zelar pela preservação, conservação e asseio das instalações, material didático, mobiliário e espaços verdes da escola, fazendo uso correto dos mesmos.

l) Respeitar a propriedade dos bens de todos os membros da comunidade educativa;

m) Permanecer na escola durante o seu horário, salvo autorização escrita do encarregado de educação ou da direção da escola;

n) Participar na eleição dos seus representantes e prestar-lhes toda a colaboração;

o) Conhecer e cumprir o estatuto do aluno e da ética escolar, as normas de funcionamento dos serviços da escola e o regulamento interno da mesma, subscrevendo declaração anual de aceitação do mesmo e de compromisso ativo quanto ao seu cumprimento integral;

p) Não possuir e não consumir substâncias aditivas, em especial drogas, tabaco e bebidas alcoólicas, nem promover qualquer forma de tráfico, facilitação e consumo das mesmas;

q) Não transportar quaisquer materiais, equipamentos tecnológicos, instrumentos ou engenhos passíveis de, objetivamente, perturbarem o normal funcionamento das atividades letivas, ou poderem causar danos físicos ou psicológicos aos alunos ou a qualquer outro membro da comunidade educativa;

r) Não utilizar quaisquer equipamentos tecnológicos, designadamente, telemóveis, equipamentos, programas ou aplicações informáticas, nos locais onde decorram aulas ou outras atividades formativas ou reuniões de órgãos ou estruturas da escola em que participe, exceto quando a utilização de qualquer dos meios acima referidos esteja diretamente relacionada com as atividades a desenvolver e seja expressamente autorizada pelo professor ou pelo responsável pela direção ou supervisão dos trabalhos ou atividades em curso;

s) Não captar sons ou imagens, designadamente, de atividades letivas e não letivas, sem autorização prévia dos professores, dos responsáveis pela direção da escola ou supervisão dos trabalhos ou atividades em curso, bem como, quando for o caso, de qualquer membro da comunidade escolar ou educativa cuja imagem possa, ainda que involuntariamente, ficar registada;

t) Não difundir, na escola ou fora dela, nomeadamente, via Internet ou através de outros meios de comunicação, sons ou imagens captados nos momentos letivos e não letivos, sem autorização do diretor da escola;

u) Respeitar os direitos de autor e de propriedade intelectual;

v) Apresentar-se com vestuário que se revele adequado, em função da idade, à dignidade do espaço e à especificidade das atividades escolares, no respeito pelas regras estabelecidas na escola;

w) Reparar os danos por si causados a qualquer membro da comunidade educativa ou em equipamentos ou instalações da escola ou outras onde decorram quaisquer atividades decorrentes da vida escolar e, não sendo possível ou suficiente a reparação, indemnizar os lesados relativamente aos prejuízos causados.

 

Bom ano letivo!

 

publicado por OPTD às 21:32

Outubro 06 2014

 

Cada ano letivo traz novidades, mas pouca mudança naquilo que verdadeiramente interessa.

 

 

As Metas Curriculares para Português e respetivas leituras que constam igualmente do Plano Nacional de Leitura estão disponíveis aqui:

http://dge.mec.pt/metascurriculares/index.php?s=directorio&pid=16

 

 

http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/index1.php

 

 

Outras informações relevantes estão igualmente disponíveis aqui:

 

http://www.aepa.pt/pt

http://www.aepa.pt/pt/2%C2%BA-ciclo

http://www.aepa.pt/pt/regulamento-interno

http://www.aepa.pt/pt/projeto-educativo

http://www.aepa.pt/pt/o-agrupamento/projeto-curricular-do-agrupamento

http://www.aepa.pt/pt/plano-anual-de-atividades

http://www.aepa.pt/pt/autoavaliacao

 

 

Trimestralmente, para além dos testes escritos, haverá lugar a...

  • 1 apresentação oral (3 minutos);
  • 1 ficha de leitura (A entregar no dia da apresentação oral)
  • outros trabalhos e tarefas a agendar.

 

 

Exemplo de estrutura de Ficha de Leitura 

Nome, nº , ano e turma

 

Dados sobre o livro :

 

  • Autor
  • Título
  • Editora
  • Ano
  • Nº de páginas
  • ...

Resumo do livro (100 palavras) :

 

  • Convém falar da personagem principal, do tempo e espaço, dos objetivos da personagens, das peripécias e de como termina a obra, por exemplo. 

Opinião (50 palavras) :

 

  • Opinião pessoal e honesta sobre o livro, aspetos positivos e negativos, razões para ler, partes preferidas, citações, sugestões...

 

 

 

O blogue tem muitos materiais de apoio, bastando clicar na lista das tags à esquerda ou fazer uma pesquisa na caixa «pesquisar». Para documentos atualizados de acordo com as Metas Curriculares de Agosto de 2013, basta clicar em «mc13».

 

Bom trabalho e bom ano letivo!

publicado por OPTD às 19:48

Janeiro 06 2012

 

http://www.gave.min-edu.pt/np3content/?newsId=9&fileName=Info0.pdf datas dos testes intermédios

http://www.gave.min-edu.pt/np3content/?newsId=9&fileName=TI_Inf_Out2011_EEA1.pdf testes intermédios

http://www.gave.min-edu.pt/np3content/?newsId=407&fileName=PFC_Inf26_Jan2012_LP91_Republica__o.pdf teste e exame lp

 

 

FUNCIONAMENTO da Língua (NGP1967)

 

 

• Texto; +

 

Introdução

Desenvolvimento

Conclusão

 

Articuladores entre parágrafos e frases

http://apontamentoslpo.blogspot.com/2008/04/articuladores-do-discurso.html

 

1 ideia=1 frase

1 assunto=1 parágrafo

 

parágrafo inicia-se com um espaço!

 

• Estrutura da frase;+

 

Tipos de frase

declarativa .

interrogativa ?

exclamativa !

imperativa !

 

Forma

Afirmativa

Negativa não, nunca, jamais

 

Funções sintáticas ver powerpoints via delegados

 

http://www.profteresa.net/pdf/ftrab_funcsint.pdf

http://linguaportuguesa9ano.wordpress.com/2009/06/09/funcoes-sintacticas/

http://www.prof2000.pt/users/didiefe/18fsintct.htm

 

Orações coordenadas e subordinadas

 

http://linguaportuguesa8ano.blogspot.com/2009/03/oracoes-coordenadas-e-subordinadas.html

http://linguaportuguesa8ano.blogspot.com/2009/03/oracoes-coordenadas-1-oracoes.html

 

http://linguaportuguesa9ano.wordpress.com/2009/06/09/frase-simples-e-frase-complexa-oracoes-coordenadas-e-subordinadas/

 

http://www.profteresa.net/pdf/coordensubord.pdf

http://www.profteresa.net/esq_coord_sub.pdf

http://www.profteresa.net/subord.pdf

 

 

• Classes de palavras;+

 

"Ui, e o primeiro carro azul vai para aquele que cantou mal?!"  

 

Indica as classes de palavras que estão na frase anterior:

 

ui

e

o

primeiro

carro

azul

vai

para

aquele

que

cantou

mal

 

 

{#emotions_dlg.sidemouth}nomes (geralmente antecedidos de um determinante)

dividem-se em

1 próprios João, Portugal...

2 comuns cão, pedra...

2.1 concretos praia, pedra...

2.2 abstratos tristeza, alegria...

3 coletivos multidão, equipa, enxame, pomar, alcateia, armada, bando, cáfila, caravana, galeria, matilha...

http://aproximar.drealentejo.pt/Corredoura/turmas/zezinha/nossostrab/visita/anedotas/colectivos.htm

 

Podem variar em

género

masculino/feminino menino/menina

 

Um substantivo comum de dois géneros/gêneros (frequentemente chamado simplesmente comum de dois) é um substantivo que tem dois valores de género/gênero possíveis, sendo que a escolha de um valor não tem consequências morfológicas (a palavra mantém-se inalterada independentemente do género) mas tem consequências sintácticas/sintáticas, pois este substantivo tem a capacidade de desencadear alterações morfológicas nas palavras que com ele concordam.

Exs.: «o intérprete/a intérprete, o jurista/a jurista».

 

sobrecomum é um substantivo que não admite contrastes de género/gênero, nem marcados morfologicamente nem marcados sintacticamente/sintaticamente, apesar de referir entidades de um e outro sexo. Ex.: «a pessoa, a criança, o indivíduo, o cônjuge, a testemunha, a estrela (de cinema)».

 

epiceno é um substantivo que designa animais e que possui apenas um género/gênero gramatical, embora possa referir animais de ambos os sexos. Ex.: «a cobra, a águia, o jacaré, a onça, a foca». O género/gênero natural do animal a que um nome epiceno se refere pode ser desambiguado pela aposição de «macho» ou «fêmea» ao nome, sem concordância de género/género entre este e o elemento aposto: «uma cobra-macho, um gavião-fêmea». Por vezes, o termo «epiceno» é utilizado também para falar de nomes sobrecomuns.

 

Em casos especiais, a forma masculina e feminina é diferente: o galo, a galinha, o cavalo, a égua, o cão, a cadela...

 

Variam também em

número singular/plural casa/casas... e

grau aumentativo, diminutivo, normal casarão, casinha, casa (não aplicável a todos os nomes...)

 

http://linguaportuguesa7ano.blogspot.com/2011/04/classes-de-palavras-exercicios-com.html

 

{#emotions_dlg.snob}determinantes

(precedem os nomes e concordam com estes em número e género)

 

o carro

a casa

uns carros

aquelas casas

 

Subclasses:

 

  • artigos definidos o a os as
  • artigos indefinidos um uma uns umas
  • determinantes possessivos meu teu seu nosso vosso seu, minha tua, sua nossa vossa sua, meus teus, seus...
  • determinantes demonstrativos este esse aquele o mesmo o outro, esta essa aquela a mesma a outra...
  • determinantes indefinidos algum nenhum todo muito pouco certo qualquer, alguns..., cada
  • determinantes interrogativos qual quanto, quais quantos, quê?

http://www.prof2000.pt/users/rocaramelo/infodeterminante.htm

http://www.prof2000.pt/users/amsniza/deter-art.htm

 

 

{#emotions_dlg.sad}pronomes

(substituem nomes, a seguir aos determinantes)

 

(praticamente os mesmos dos determinantes)

    • demonstrativos
    • indefinidos
    • interrogativos
 
  • pessoais eu, tu ele, nós, vós, eles, -o...
  • relativos o qual, cujo, quanto, que quem onde

O livro que está em cima da mesa é azul.

Os Lusíadas, cujo autor é Luís de Camões, é uma epopeia. 

A rua onde moro é em Lisboa.

 

A Carla faltou? ___ faltou hoje.

Se eu tivesse um bilhete a mais para o filme, daria o bilhete ao João.

Se eu tivesse um bilhete a mais para o filme, _________ ao João.

Se eu tivesse um bilhete a mais para o filme, _________.

A companhia estreou a peça, mas não representou a peça.

A companhia estreou a peça, mas não_____ representou.

Eu pus o livro na mesa.

Eu ____ na mesa.

Vou dar um beijo.

Vou____.

Vou dar um beijo à Rute.

___-___-___.

 

 

http://linguaportuguesa7ano.blogspot.com/2010/03/nesta-ficha-encontras-varios-exercicios.html

http://linguaportuguesa8ano.blogspot.com/2010/01/os-pronomes-identificacao-de-subclasses.html

 

 

{#emotions_dlg.confused}numerais

(indicam quantidade, ordem...)

 

Subclasses:

cardinais sete alunos chegaram atrasados.

ordinais O primeiro a chegar à meta ganhou a corrida.

multiplicativos Este teste tinha o triplo de matéria relativamente ao anterior.

fracionários Comi um terço da piza.

 

Variam em género e número.

 

João Paulo II _________

Bento XVI ___________

Afonso I _____________

séc. XVI _____________

 

Eu nasci em 1975, isto é, no milésimo nongentésino septuagésimo quinto ano d.C.

 

http://pt.wikibooks.org/wiki/Portugu%C3%AAs/Classifica%C3%A7%C3%A3o_das_palavras/Numerais/Tabela_de_numerais

http://acadepol.forums-free.com/exercicios-sobre-numeral-t186.html

 

{#emotions_dlg.sarcastic}adjetivos

(colocam-se antes ou depois dos nomes)

 

Variam em

género, podendo ser

biforme homem alto/mulher alta

uniforme homem inteligente/mulher inteligente

 

número singular/plural

 

graus

 

1normal forte

 

2comparativo (a característica de 1 elemento face à mesma característica de outro elemento)

2.1superioridade mais forte do que

2.2igualdade tão forte como

2.3inferioridade menos forte do que

 

3superlativo

 

3.1absoluto ( a característica em absoluto num único elemento)

3.1.1sintético fortíssimo

3.1.2analítico muito forte

 

3.2relativo (a característica de 1 elemento face a um grupo de elementos)

 

Só tem 2!

 

3.2.1superioridade o mais forte de

3.2.2inferioridade  o menos forte de

 

casos especiais: bom melhor ótimo, mau pior péssimo, baixo inferior ínfimo

agradabilíssimo, cristianíssimo, magnificentíssimo, crudelíssimo, frigidíssimo, aspérrimo, libérrimo, paupérrimo, docílimo, humílimo, dulcíssimo, sapientíssimo...

 

http://profpaulo.weebly.com/adjetivo.html

 

 

{#emotions_dlg.rude}verbos

(palavra que exprime ação, estado, qualidade, situando no tempo...)

 

Em Português há 3 conjugações:

1ª, em -a cantAR

2ª, em -e bebER (e também PONERE>poer>PÔR)

3ª, em -i partIR

 

Variam em

número singular e plural

pessoa 1ª, 2ª e 3ª do singular ou do plural (eu tu ele, nós vós eles)

modo:

1indicativo (real)

 

http://www.google.pt/imgres?q=verbo+amar+portugues&start=167&um=1&hl=pt-PT&biw=1366&bih=673&tbm=isch&tbnid=8BC1TnR48zXDEM:&imgrefurl=http://diegodg3.blogspot.com/2010/03/modulo1-aula-3-verbos.html&docid=IgPG8_VM45nzJM&imgurl=http://www.manager.com.br/elearning/galeria/modo_indicativo_1.gif&w=519&h=397&ei=eqRTT4XBGaSm0QWv6vTpCw&zoom=1&iact=hc&vpx=904&vpy=363&dur=148&hovh=196&hovw=257&tx=115&ty=155&sig=115706103078918189233&page=8&tbnh=138&tbnw=180&ndsp=26&ved=1t:429,r:11,s:167

 

2conjuntivo (hipótese)

3imperativo (ordem, conselho, pedido)

4infinitivo (a ideia em abstrato)

 

tempo (simples e compostos) presente, pretérito perfeito, imperfeito, mais-que-perfeito, futuro, condicional, infinitivo, gerúndio, particípio

 

voz ativa/passiva O carteiro entregou a carta.

                           A carta foi entregue pelo carteiro.

 

http://www.profteresa.net/Os%20Verbos.pdf

http://www.graudez.com.br/portugues/verbos1.htm

http://www.conjuga-me.net/

http://linguaportuguesa7ano.blogspot.com/2010/05/o-verbo-exercicios-de-flexao-verbal.html

 

 

verbos defectivos (não se usam em todas aspessoas) nevar, chover, trovejar, haver...

 

Conjugação pronominal: lavar-se: eu lavo-me, tu lavas-te, ele ama-a, eles abraçam-se...

conjugação perifrástica: tenho de comprar, a chuva ia caindo...

 

{#emotions_dlg.style}advérbios

(intensificam o sentido do verbo, adjetivo... Não variam em género e número.)

 

subclasses:

modo terminados em -mente, bem, depressa, devagar, melhor...

lugar abaixo, acima, ali, aqui, longe, perto

tempo agora, amanhã, depois, sempre

intensidade muito, pouco, bastante

negação não, nunca, jamais

interrogativos onde (l), quando (t), como (m), porquê (causa)?

 

Locuções adverbiais (mais do que uma palavra)

ao contrário

às escuras

com certeza

frente a frente

por vezes...

 

graus

(apenas alguns advérbios variam)

 

normal longe

comparativo superioridade mais perto, igualdade tão perto, inferioridade menos perto

superlativo absoluto analítico muito perto, sintético pertíssimo

                   relativo superioridade o mais perto, inferioridade o menos perto

 

Casos especiais: bem melhor, mais bem otimamente, muito bem...

 

{#emotions_dlg.amazed}conjunções

(palavras invariáveis que ligam orações)

 

1 Conjunções e locuções coordenativas (duas ou mais orações que não podem mudar de posição, no mesmo plano)

 

 

2 Conjunções e locuções subordinativas (podem mudar a ordem, 1 é subordinante, outra subordinada)

 

http://linguactiva.atspace.com/Exercicios/Coord_Subord/1_Pedro1.htm

 

{#emotions_dlg.sleeping}preposições

(palavras invariáveis que ligam palavras)

 

Contrações:

a+o,a, os, as=ao...

de+o, a, os, as=do...

por+o,a,os, as=pelo...

 

Locuções prepositivas

 

 

 

{#emotions_dlg.coimbra}interjeições

(emoções, quase frases...)

 

 

http://agsbmessines.sytes.net/web/passatempo/lpo/gra/interjeicao.htm

...

 

• Relações entre palavras; +

 

 

homónimas - mesma escrita, mesma pronúncia, significado diferente: eu rio, o rio, canto, banco

homógrafas - grafia idêntica, pronúncia e significado diferentes: o carpinteiro pregou o prego, o padre pregou o sermão, besta, demos, dêmos, lobo, pode, pôde, pôr, por, sábia, sabia, sabiá

homófonas - mesma pronúnica, escrita e grafia diferentes: coseu, cozeu, acento, assento, aço, asso, bucho, buxo, cegar, segar, censo, senso, conselho, concelho, era, hera, passo, paço

parónimas - significado diferente, palavras parecidas: ilegível, elegível, comprimento, cumprimento, descrição, discrição, emigrante, imigrante, eminente, iminente, moral, mural, mugir, mungir, perfeito, prefeito, rebelar, revelar

sinónimos - significado idêntico: bonito, lindo

antónimos - significado contrário: bonito, feio, dar, tirar

hiperónimo - palavras de sentido mais global relativamente a outras de sentido mais específico: animais>gato, cão, periquito...

hipónimo - palavras de sentido mais específico relativamente a outras de sentido mais geral: cão, gato, periquito...>animais

 

 

Holonímia
«Relação de hierarquia semântica entre duas unidades lexicais; uma denota um todo (holónimo) sem impor obrigatoriamewnte as suas prioridades semânticas à outra, considerada sua parte (merónimo)»
Exemplos «carro/volante – carro estabelece uma relação de holonímia com volante, sem porém lhe impor as suas propriedades; braço/corpo; vela/barco»

Meronímia
«Relação de hierarquia semântica entre duas unidades lexicais; uma denotando a parte(merónimo)» e criando uma relação de dependência ao implicar a referência a um todo (holónimo), relativo a essa parte»
Exemplo
«A unidade lexical «dedo» (merónimo) implica a unidade lexical «mão» (holónimo)»

 

família de palavras: palavra primitiva - terra>terraço, terrestre, desenterrar, terraplanagem, aterragem

campo semântico: palavras do mesmo tema - planetas, via láctea, sol, estrelas: Universo

 

• Processos de formação de palavras; +

 

palavras primitivas aqua>água... aguadeiro, desaguar... (derivadas da primitiva)

 

1. derivação

por prefixação, sufixação, parassíntese, regressiva

 

Prefixação desfazer

Sufixação aguar (água ar), rapidamente, felizardo, pequenino...

Parassíntese desaguar, repatriar, amanhecer, embainhar

 

vogal/consoante de ligação agua d eiro, cafe z inho, cafe t eira...

 

Derivação regressiva (Nomes<verbos)

caça-caçar, censurar-censurar, atacar-ataque, tocar-toque...

 

 

2. composição

por justaposição, aglutinação

 

justaposição (duas palavras, mantém-se a acentuação) amor-perfeito, couve-flor, mestre-estrela, porco-espinho, belas-artes, guarda-roupa...

aglutinação (1 palavra, 1 acento) aguardente, bancarrota, fidalgo, girassol, malmequer, Monsanto, passaporte, planalto, vinagre...

 

• Processos fonéticos; +

 

 

Os fenómenos mais comuns são:

 

 

 

Acrescento de segmentos

 

 

 

Prótese

 

Epêntese

 

Paragoge

 

 

 

Supressão de segmentos

 

 

 

Aférese

 

Síncope

 

Apócope

 

 

 

Alteração de segmentos

 

assimilação

 

dissimilação

 

metátese

 

sonorização

 

vocalização

 

nasalização ou nasalação

 

desnasalação ou desnasalização 

 

 

 

crase

 

sinérese

 

palatalização

 

 

 

 

 

CAPITULUM>capitulu>capituu>capitu>cabido

 

ABSENTEM>absente>ausente

 

FENESTRAM>fenestram>feestra>fresta

 

CLAVEM>clave>chave

 

IBI>ii>i>aí

 

DAT>dá

 

IPSUM>ipsu>issu>isso

 

LILIUM>liliu>lírio

 

IESUS>Jesus

 

CANES>cães

 

ARENA>area>areia

 

PECTUM>pectu>peito

 

ANTE>antes

 

ARANEA>aranha

 

PEDEM>pede>pee>pé

 

DOLOREM>dolore>dolor>door>dor

 

LEGEM>lege>lee>lei

 

SEMPER>sempre

 

flor>flori

 

telefone>tlofone>tofone

 

restaurante>restorante

 

 

 

Na passagem do LAtim ao Português algumas palavras com origens diferentes convergiram numa mesma forma:

 

SANU

 

SANCTU são

 

SUNT

 

(convergentes)

 

 

 

Outras, pelo contrário, divergiram (divergentes):

 

ARENA arena areia

 

MACULA mácula mancha

 

CATEDRA cátedra cadeira

 

 

 

Definições

 

http://www.notapositiva.com/resumos/portugues/fenomenosfoneticos.htm

 

 

 

Exercícios

 

 

 

http://estudarmais.no.sapo.pt/PDFPortugues/fonetica2.pdf

 

http://agsbmessines.sytes.net/web/passatempo/lpo/9/barca/fenomenos.htm

 

http://www.colegioportugal.pt/historia_da_lingua.htm

 

 

 

• Modos de representação do discurso; +

 

 

narração (pret.perfeito -ei, ou, ação)

descrição (pret. imperfeito -ia, - ava, descrição)

diálogo (-?!)

monólogo

discurso direto/indireto/indireto livre (personagem, narrador, personagem através do narrador)

 

• Pontuação; +

 

http://www.flip.pt/FLiP-On-line/Gramatica/Sinais-de-pontuacao.aspx

http://criarmundos.do.sapo.pt/Linguistica/pesquisaescrita013.html

 

A importância da Pontuação

 

Um homem muito rico estava extremamente doente, agonizando. Pediu papel e caneta
e escreveu, sem pontuação alguma, as seguintes palavras:

'Deixo
meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro
nada dou aos pobres. '

Não resistiu e se foi antes de fazer a
pontuação. Ficou o dilema, quem herdaria a fortuna? Eram quatro
concorrentes.

1) O sobrinho fez a seguinte pontuação:
Deixo os meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

2)
A irmã chegou em seguida. Pontuou assim o texto:
Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos
pobres.

3) O padeiro pediu cópia do original. Puxou a brasa pra sardinha
dele:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

4) Aí, chegaram os descamisados
da cidade. Um deles, sabido, fez esta interpretação:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga aconta do padeiro? Nada! Dou aos pobres.

Moral da história: A vida pode ser interpretada e vivida de
diversas maneiras. Nós é que fazemos sua pontuação. É isso faz toda a
diferença...

O conto da ilha
desconhecida

 

José Saramago

 

Um homem foi bater à porta do rei e disse-lhe, Dá-me um
barco. A casa do rei tinha muitas mais portas, mas aquela era a das petições.
Como o rei passava todo o tempo sentado à porta dos obséquios (entenda-se, os
obséquios que lhe faziam a ele), de cada vez que ouvia alguém a chamar à porta
das petições fingia-se desentendido, e só quando o ressoar contínuo da aldraba
de bronze se tornava, mais do que notório, escandaloso, tirando o sossego à
vizinhança (as pessoas começavam a murmurar, Que rei temos nós, que não atende),
é que dava ordem ao primeiro-secretário para ir saber o que queria o impetrante,
que não havia maneira de se calar. Então, o primeiro-secretário chamava o
segundo-secretário, este chamava o terceiro, que mandava o primeiro-ajudante,
que por sua vez mandava o segundo, e assim por aí fora até chegar à mulher da
limpeza, a qual, não tendo ninguém em quem mandar, entreabria a porta das
petições e perguntava pela frincha, Que é que tu queres. O suplicante dizia ao
que vinha, isto é, pedia o que tinha a pedir, depois instalava-se a um canto da
porta, à espera de que o requerimento fizesse, de um em um, o caminho ao
contrário, até chegar ao rei. Ocupado como sempre estava com os obséquios, o rei
demorava a resposta, e já não era pequeno sinal de atenção ao bem-estar e
felicidade do seu povo quando resolvia pedir um parecer fundamentado por escrito
ao primeiro-secretário, o qual, escusado se ria dizer, passava a encomenda ao
segundo-secretário, este ao terceiro, sucessivamente, até chegar outra vez à
mulher da limpeza, que despachava sim ou não conforme estivesse de maré.

Contudo, no caso do homem que queria um barco, as coisas não se
passaram bem assim. (...)

 

http://www.releituras.com/jsaramago_menu.asp

 

 

• Ortografia. +

 

http://cvc.instituto-camoes.pt/index.php?option=com_forca&Itemid=173 jogo da forca

 

 

http://escola.eb23-dr-ruy-andrade.rcts.pt/images/stories/flash/acordoortografico_653da239ce16a79ae75b83f89bab4037.swf

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ajuda:Guia_de_edi%C3%A7%C3%A3o/Usar_o_acordo_ortogr%C3%A1fico

 

http://www.abril.com.br/noticias/quiz-portugues-novo-acordo-ortografico/

 

Ver tag Acordo ortográfico para mais

 

http://guida.querido.net/jogos/portug/ordalf-1.htm ordem alfabética

 

(...)

publicado por OPTD às 11:17

Março 14 2011

 

http://www.monstrafestival.com/2011/attachments/059_Desdobravel2011_Press.pdf

publicado por OPTD às 10:10

Março 08 2011

Meninos,

 

Quinta-feira voltamos ao trabalho.

Tragam tudo, mas, em especial, vontade de fazer mais e melhor.

publicado por OPTD às 11:14

Um blogue de apoio às minhas aulas e a todos os que gostam da Língua Portuguesa (e Francesa) e tudo...
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


links
pesquisar
 
Contador (desde Julho 2009)

contador gratis
blogs SAPO