O Professor tira dúvidas

Setembro 30 2015

 

 

Dados do Livro

título ________________

autor ________________

ilustrador _____________

editora _______________

local e ano de edição ____________

 

É um livro de... (escolher)

aventuras

crónicas

teatro

banda desenhada

temática histórica

contos

poesia

viagens

divulgação científica

outra temática

 

Breve Resumo (100 palavras) Estrutura, personagens, tempo, espaço...

____________________________

Opinião (50 palavras)

____________________________

 

nome, ano, turma, número

 

(a entregar no dia da apresentação oral com o caderno diário)

 

 

 

 

 

 

 

publicado por OPTD às 10:59

Dezembro 01 2010

ESTE MÊS, UM FILME FRANCÊS…

 

 

Título / Titre ____________________________________________________________

Género / Genre _________________________________________________________

Resumo / Résumé _______________________________________________________

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________________________________________________________________

Opinião / Opinion _______________________________________________________

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Nome / Nom __________________________________________

Ano / Année __________________________________________

Turma / Classe ________________________________________

Nº ________

 

Data / Date _______ / ________ / ________

publicado por OPTD às 11:25

Dezembro 01 2010

___º Ano, Turma ____

 

Nome _____________________________________________________, Nº ___

 

  1. Vê o filme, com muita atenção, depois de leres as informações que constam do ponto 1.
  2. Depois de assistir à projecção do filme, completa a tabela seguinte com as informações pedidas :

Título

 

 

Realizador

 

 

Género

 

 

Tempo(s)

 

 

Espaço(s)

 

 

Personagem(ns) principal(ais) + justificação (3 ll.)

 

 

 

Caracterização Física (3 ll.)

 

 

 

Caracterização Psicológica

(3 ll.)

 

 

 

Resumo da acção (5 ll.)

 

 

 

 

 

Opinião (5 ll.)

 

 

 

 

 

 

Alguma coisa que tenhas aprendido (3 ll.)

 

 

 

1 palavra portuguesa que tenhas aprendido

+ significado

1_________________________________________

+

___________________________________________

NB : se não for suficiente o espaço da tabela podes utilizar uma folha de resposta tua, sempre identificada.

publicado por OPTD às 11:20

Outubro 19 2010

Podem usar este modelo para fazer o mesmo para Le Petit Nicolas...

 

 

ESTE MÊS, UM FILME FRANCÊS…

Título / Titre ____________________________________________________________

Género / Genre _________________________________________________________

Resumo / Résumé _______________________________________________________

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________________________________________________________________

Opinião / Opinion _______________________________________________________

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Nome / Nom __________________________________________

Ano / Année __________________________________________

Turma / Classe ________________________________________

Nº ________

 

Data / Date _______ / ________ / ________

 

NB: Se fores aluno de Francês Língua Estrangeira II (7º, 8º e 9º ano), preenche a ficha em Francês e entrega-a na Biblioteca. É claro que conta para nota!...

publicado por OPTD às 18:59

Outubro 19 2010

 

A CADA MÊS, UM FILME FRANCÊS…

 

MÊS

TÍTULO

GÉNERO

RESUMO

OUTUBRO

2010

BEM-VINDOS AO NORTE

COMÉDIA

Philippe é obrigado a mudar-se para o norte da França e descobre uma nova língua…

NOVEMBRO

BELLEVILLE RENDEZ-VOUS

ANIMAÇÃO

Champion tem um sonho: vencer o Tour de France…

DEZEMBRO

FELIZ NATAL

DRAMA

Na 1ª Guerra Mundial, em pleno campo de batalha, alguém se lembra que é Natal…

JANEIRO

2011

OS VISITANTES

COMÉDIA

E se de repente mudássemos de época?...

FEVEREIRO

O MEU TIO

COMÉDIA

Entre a cidade moderna e a antiga vila ainda há espaço para a diversão...

MARÇO

OS CORISTAS

DRAMA

Quando a música muda o mundo, milagres acontecem…

ABRIL

ASTÉRIX NOS JOGOS OLÍMPICOS

 

COMÉDIA

Qual é o desporto preferido de Obélix?

MAIO

2 DIAS EM PARIS

COMÉDIA

Um americano pode sobreviver dois dias em Paris?

JUNHO

A ESCOLHER ENTRE OS MAIS VOTADOS

 

 

 

 

… NA TUA BIBLIOTECA ESCOLAR, QUANDO QUISERES. BASTA REQUISITAR!

 

Organizado pelo Departamento Intermédio de Francês e da Biblioteca Escolar-Centro de Recursos Educativos

 

publicado por OPTD às 18:54

Junho 25 2009

 

 

José Saramago
A viagem do elefante
2008
 
A história passa-se no século XVI iniciando-se em Portugal.
D. João III e a sua mulher, D. Catarina, resolvem oferecer ao primo desta, o arquiduque Maximiliano II da Áustria, como presente de casamento com uma princesa espanhola, Maria, um elefante (Salomão) vindo da Índia e que estava praticamente abandonado em Belém há dois anos com o seu cornaca (tratador) Subhro (branco).
Limpam-no e começam a fazer os preparativos para a longa viagem de Lisboa até Valladolid, onde era o casamento.
A viagem foi longa e lenta, porque o elefante dormia sempre a sesta e comia e bebia muito, o que por vezes não era fácil de satisfazer, o que demorava ainda mais a entrega do animal ao arquiduque.
As pessoas que o viam passar assustavam-se e achavam que era uma criatura diabólica.
Foram perseguidos por lobos esfomeados, mas os soldados portugueses que o escoltavam conseguem entregar o elefante ao arquiduque, que lhe muda o nome para Solimão. O tratador passa a chamar-se Fritz, porque o arquiduque não conseguia dizer aqueles nomes, nem gostava deles.
Atravessaram Espanha debaixo de calor, os Pirinéus com o frio, colocaram Solimão num barco até Génova, na Itália, sob a chuva, atravessaram os Alpes debaixo de neve, até chegarem a Viena de Áustria.
A cidade recebeu-os em festa. Uma menina de cinco anos atirou-se para a frente do elefante e todos pensaram que ele a esmagaria, mas ele agarrou-a com a tromba e salvou-a para grande alegria de todos.
O elefante morreu dois anos depois, em Dezembro de 1553.
Todos ficaram muito tristes, inclusive D. Catarina que não quis ouvir a notícia da morte do elefante.
 José Miranda(C)
publicado por OPTD às 23:44

Junho 25 2009

 http://www.google.pt/search?sourceid=navclient&hl=pt-BR&ie=UTF-8&rlz=1T4ADBF_pt-BRPT291PT292&q=mia+couto

 

 

 

Venenos de Deus, Remédios do Diabo, Mia Couto
por Emanuel Amorim a 5.9.08
Venenos de Deus, Remédios do Diabo é o mais recente romance de Mia Couto, escritor moçambicano nascido em 1955. Neste livro, tomamos contacto com Sidónio Rosa, médico português que decide fazer trabalho cooperativo em Moçambique para tentar encontrar a sua amada Deolinda, uma mulata que conheceu num congresso em Lisboa. Chegado a Via Cacimba só encontra os pais de Deolinda – Bartolomeu Sozinho e Dona Munda – que justificam a ausência da mulata por suposto estágio. No decorrer da narrativa Sidónio é confrontando com histórias antagónicas sobre o que terá acontecido a Deolinda e sobre o passado da família Sozinho. Adensa-se o mistério e Sidónio mergulha, também ele, na cacimba que parece cobrir a Vila Cacimba.

Mia Couto sabe contar uma história, doseia a informação com mestria, revela os factos no momento certo, fá-lo quando já estamos desconfiados da sua existência e sem chamar a atenção para si. O leitor só sabe aquilo que a personagem principal sabe, embora haja algumas excepções, e toma conhecimento dos factos ao mesmo tempo que Sidónio. Isto permite que cada revelação seja, no contexto da narrativa, verosímil e permite também uma maior envolvência da parte do leitor.

Em Venenos de Deus, Remédios do Diabo é fácil gostarmos das personagens pelo carisma e pela quase total ausência de maldade. Não são heróis, são pessoas que, como todos nós, cometem erros, mentem, falam verdade, têm medos, fantasmas e acreditam em algo que não se vê e que não é terreno.

Nessa galeria de personagens destaca-se Bartolomeu Sozinho, um velho reformado que andou toda a vida, quando Moçambique era uma colónia portuguesa, embarcado no transatlântico Infante D. Henrique. Passa os dias fechado no seu quarto, apenas com a companhia da televisão que, como é dito, sonha por ele. Mal visto em Cacimba, por causa da sua ligação ao regime colonial que é empolada por uma daquelas lendas heróicas que alguns contam – neste caso o administrador Suacelência – para se vangloriar e conseguir um lugar de destaque junto da comunidade.

A sua esposa, Dona Munda, é uma mulata acusada pelo seu marido de ser feiticeira. Guarda segredos que nunca chegamos a conhecer na sua totalidade. Tão depressa deseja, aparentemente, matar o seu marido como deseja que ele não morra e que recupere do mal que o consome.

Com um papel de menor destaque desfilam na prosa de Mia Couto outras personagens com traços particulares e que prevalecem na nossa memória finda a leitura deste romance. Disso exemplo é Suacelência, o administrador da cidade que deseja um medicamento que acabe com o suor.

A própria Vila Cacimba assume um destaque simbólico, porque tudo nela – locais (cemitério) e personagens – parece, como o nome indica, estar envolto num nevoeiro que não deixa ver a realidade. Na vila, o tempo (passado, presente e futuro) parece não existir e as histórias têm tantas versões quantos os habitantes que as contam.

Venenos de Deus, Remédios do Diabo apresenta o trabalho sobre a linguagem típico de Mia Couto, onde as palavras são alteradas pela oralidade e pelo uso efectivo do dia-a-dia. Ainda assim, Mia Couto exagera nos adágios que coloca na boca das personagens e na voz do narrador. Parece haver uma necessidade de colocar em filosofia popular todo e qualquer acontecimento. Mesmo a personagem mais humilde tem a capacidade de soltar uma máxima em relação à coisa mais ínfima. Em alguns casos esse exagero de máximas é justificado e até recebido com um sorriso de aprovação, noutros parece um puro exercício de estilo feito a pensar em antologias de pensamentos de bolso. Cito alguns exemplos: “O amor acontece para a gente desacontecer” (página 38) e “Viver é um verbo sem passado” (página 46).

Com o desenrolar da acção, deixamos de reparar nesse pequeno pecado e passamos a devorar com ganância cada página, na esperança de ver atadas todas as pontas da história. É esse o grande mérito de Mia Couto: sabe contar uma história e isso é um bom motivo para pegar num livro.
por Emanuel Amorim  
 
 
 
 
 
 
Venenos de Deus, Remédios do Diabo - Mia Couto
 
                          
 
      Venenos de Deus, Remédios do Diabo é o mais recente romance de Mia Couto que se lê num sopro... Mais uma vez nos vimos, nesta história, envolvidos pela escrita do autor, pela magia que coloca nas palavras que usa e reinventa, adaptando-as à situação narrada.
     
      Encontramos aqui mais um retrato de Moçambique, o país natal de Mia Couto: Um médico português resolve tornar-se cooperante em Vila Cacimba, zona moçambicana onde pretende encontrar a mulata Deolinda que conhecera em Lisboa e por quem se "perdera de amores".
      Enquanto aguarda a chegada da amada, que terá supostamente partido para frequentar um estágio em parte incerta, o médico Sidónio Rosa vai descobrindo os segredos e mistérios que envolvem a família de Deolinda.
 
      Mais uma vez me encantaram as palavras reinventadas por Mia Couto e os pensamentos certeiros do autor, que tornam a leitura dos seus textos ainda mais aliciante. Alguns exemplos neste livro:
·    «definitivar-se»: morrer;
·    «canguruar»: saltitar;
·    «tresandarilhos»: loucos;
·    «desnovelar»: contar;
·    «estatuar»: ficar parado...
     
      «Depois de tantos anos, deixamos de viver na casa e passamos a ser a casa onde vivemos»
 
      «Homem que baba não morde»
 
      «Quem tem medo da infelicidade nunca chega a ser feliz»
 
      «Diz-se que o silêncio inspira medo porque, nesse vazio, ninguém é dono de nada»uecimento.
publicado por OPTD às 23:43

Junho 17 2009

 

Anjos e Demónios
Dan Brown 
Anjos e Demónios apresenta-nos a personagem de Robert Langdon, professor de iconologia religiosa e história da arte na
Universidade de Harvard. À medida que os acontecimentos se desenrolam, ele é acordado por um telefonema de Maximilian Kohler, o director do CERN, o maior centro de investigação científica do mundo situado em Génova, Suíça. Um dos seus maiores físicos fora assassinado e tinha a palavra "Illuminati" marcada no peito. Como Langdon é um perito na
antiga sociedade secreta conhecida como Illuminati, é-lhe pedida ajuda na resolução deste assassinato. O avião ultra-moderno X-33 transporta Lagdon de Massachusetts até à Suíça em pouco mais de uma hora.

A víctima assassinada é Leonardo Vetra que, além de ser um dos principais físicos do mundo, é também um padre Católico. Ele é um padre que adoptou uma filha, Vittoria, que é também cientista no CERN. Isto era a maior suspensão de descrença para mim, um homem que é padre, pai e um físico de topo, mas aceitar isto é abrir caminho para o desenrolar da história. Vetra e a sua filha estavam a usar o maior acelerador de partículas do mundo para criar antimatéria para depois a reterem em vasilhas para que esta não interagisse com a matéria.

Se uma vasilha for retirada do sistema eléctrico que mantém a matéria e antimatéria separadas são accionadas baterias de substituição durante 24 horas. Quando as 24 horas expirarem, ambas colidirão provocando uma explosão instantânea com uma força poderosa, sem precedentes. Leonardo Vetra criou a antimatéria para simular o Big Ben. Do seu ponto de vista, isto provaria que Deus existe, sendo capaz de criar nova matéria e antimatéria da mesma forma que Deus criou o universo. No entanto, o assassinato de Vetra permite que uma das vasilhas seja roubada. A dúvida sobre a identidade do ladrão e o destino que dará ao recipiente será esclarecida em breve.

Este recipiente é rapidamente descoberto numa câmara de segurança na Cidade do Vaticano, com o seu relógio em contagem decrescente à medida que a bateria se esgota. Entretanto, a câmara de segurança não é encontrada e, assim, também o paradeiro da própria vasilha é um mistério. Langdon e Vittoria Petra são rapidamente enviados para a Cidade do Vaticano, em Roma, para ajudarem a encontrar a vasilha e devolvê-la ao CERN antes que exploda, à meia-noite. Não só existe a ameaça da vasilha destruir a Cidade do Vaticano como, com a recente morte do Papa, os cardeais da Igreja Católica encontram-se reunidos no conclave para a escolha do novo Papa. Eles estão prestes a isolarem-se no interior da Capela Sistina onde, de acordo com as regras da Igreja, terão de permanecer até um novo Papa ser escolhido. Eles aguardam o preferiti, os quatro cardeais de quatro países europeus diferentes que são os candidatos preferenciais a tornarem-se no novo Papa.

Enquanto Langdon e Vittoria tentam convencer o capitão da Guarda Suíça e o camerlengo, o substituto do Papa que lidera a Igreja até ser escolhido novo Papa, que a bomba antimatéria é real, é recebida uma chamada de um homem que se intitula pertencer à Illuminati. Ele tem os quatro cardeais, que ameaça matar um a um e permitir que a bomba destrua a Cidade do Vaticano, que inclui não só a hierarquia da Igreja, mas também as suas posses e riquezas. Ele não tem exigências; o seu único desejo é destruir a Igreja Católica como resposta ao tratamento que a mesma tem dado aos cientistas e à Illuminati ao longo dos séculos. Langdon e Vetra estão numa corrida contra o tempo. Eles pesquisam em arquivos e mistérios antigos para encontrarem pistas, que requerem bastantes conhecimentos prévios em história da arte e simbologia religiosa. Isto faz de Lagdon o guia mestre desta viagem pelo conhecimento inato e académico, dando o seu melhor para educar sem parecer superior com a sua própria inteligência.

Tal como o Codigo da Vinci, Langdon percebe o suficiente sobre cada mistério para ir à procura das peças necessárias para resolver cada puzzle, que o leva ao próximo. Vittoria é bonita, forte e determinada em vingar a morte do pai e evitar que a vasilha exploda. Ambos estão constantemente um passo atrás da Illuminati e, uma vez que se torna claro que a Guarda Suíça e a Cidade do Vaticano foram penetradas pela sociedade antiga, eles não sabem em quem confiar. Isto leva-os até igrejas, fontes, criptas, passagens esquecidas ou secretas e catacombas. A morte espreita-os em cada esquina, de uma forma ou de outra.

«Pedro Melo», 7º B

publicado por OPTD às 11:40

Junho 14 2009
Impressões de Leitura de Antes de Começar de Almada Negreiros

Reli há pouco tempo a pequenina peça de Almada Negreiros, estranhamente chamada Antes de Começar.
A peça tem apenas duas personagens: o Boneco (curioso e despachado, de início) e a Boneca, tímida e cautelosa.
Os dois têm uma conversa no que descobrimos ser o palco de um teatro. Primeiro, sobre aquilo que conseguem fazer, sendo bonecos, como falar, andar; depois, sobre o que conseguem sentir, já que têm coração!
As duas marionetas (?) temem, sobretudo, que o Homem e família descubram que o Boneco e a Boneca conseguem mexer-se, pensar, sentir e evitam sair da posição em que são deixados para não haver a mais frágil suspeita das suas capacidades.
Na conversa que as duas personagens têm, ficamos também a conhecer a história da criação dos dois, saídos das mãos e do Amor de Ela, que porque os fez com tanto Amor lhes deu também um Coração.
A «peça» termina com o regresso do Homem, acompanhado de um grupo de crianças que vêm assistir a uma peça de teatro, subindo um outro pano de cena nas costas das personagens. A peça verdadeira, é a que começa para as crianças, sendo aquela a que assistimos apenas uma conversa antes de começar a Peça.
O texto é simples, despojado de grandes artifícios literários, mas ao mesmo tempo denso e profundo. Um jovem poderá ver nele apenas uma conversa entre dois bonecos, mas um adulto poderá ler um texto que fala dos Homens através dos Bonecos, da procura do nosso papel no grande palco da vida que é o mundo.
Aconselho a leitura, mas também a representação, até porque os textos teatrais só vivem quando saem do papel.
José Miranda
Maio 2009
publicado por OPTD às 20:00

Abril 23 2009

 

Almeida Garrett
Falar verdade a mentir
Porto Editora
79 páginas
 
Peça de teatro traduzida / adaptada de um original francês por Garrett, que conta a vida de Duarte Guedes, um mentiroso compulsivo que, para grande susto seu, vê todas as suas mentiras realizar-se em frente aos seus olhos…
De fácil leitura, à excepção de algumas palavras menos habituais hoje em dia, divertido e de rápida leitura.
José Miranda©
publicado por OPTD às 22:43

Um blogue de apoio às minhas aulas e a todos os que gostam da Língua Portuguesa (e Francesa) e tudo...
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


links
pesquisar
 
Contador (desde Julho 2009)

contador gratis
blogs SAPO