O Professor tira dúvidas

Outubro 13 2015

 

Qualquer que seja o meio de comunicação de massas por que é veiculado (jornais, revistas, rádio, televisão, internet), o texto publicitário tem como objectivo principal provocar o leitor/espectador, despertando-o da sua rotina quotidiana para algo que lhe pode captar a atenção, seja no domínio da publicidade comercial seja na esfera da publicidade não comercial.

Conseguida a atenção do receptor (com uma imagem ou frase, por exemplo), a publicidade cumpriu a sua primeira função.

O receptor mostrará interesse e desejo em adquirir um produto ou aderir a uma causa.

Memorizará o anúncio e passará à acção (aquisição).

 

A fórmula AIDMA

 

A sigla AIDMA sintetiza as várias etapas do processo publicitário: A Atenção (captar a atenção do receptor) I Interesse (despertar o interesse pelo produto/serviço publicitado) D Desejo (desencadear a necessidade de possuir o produto ou beneficiar do serviço publicitado) M Memorização (potenciar a retenção da mensagem na memória através de determinados processos: slogans curtos e originais, recurso à rima, etc.) A Ação (mobilizar o público destinatário para a aquisição do produto/serviço publicitado)

 

 

Instintos profundos

 

Para provocar o desejo de compra, a linguagem publicitária apela aos instintos profundos do público destinatário:

  • instinto maternal e·paternal (amor, ternura, carinho, etc.);
  • instinto de conservação (desejo de economizar, desejo de juventude, aspiração ao conforto, à saúde e à felicidade);
  • instinto de domínio (desejo de aquisição de bens ou êxito, necessidade de prestígio);
  • instinto de diversão (necessidade de viajar, de evasão, de mudar, de sonhar e de distracção);
  • instinto sexual (desejo de criar, construir, agradar, etc.).

 

Direito contra a publicidade enganosa e abusiva

Publicidade enganosa é aquela que mente sobre produtos ou serviços ou deixa de dar informações básicas ao consumidor, levando-o ao erro.

Pode ser encontrada na televisão, no rádio, nos jornais, em revistas, na internet, etc.

Publicidade abusiva é a que pode provocar o medo, a discriminação, a violência ou prejudicar a sua saúde ou segurança.

 

 Estrutura do anúncio publicitário

 

Para que um anúncio funcione, activando o desejo de aquisição, deverá conter, bem combinados, diversos elementos: • Título - suporta 50 a 70% da eficácia da mensagem; utiliza vocabulário de conotação positiva; atrai a atenção, cria interesse e permite que o consumidor se reveja no anúncio.

  • Slogan - curto, original, sugestivo e de fácil memorização; mantém-se ao longo de várias campanhas publicitárias. • Texto de argumentação: - apresenta o produto; - expõe as suas vantagens; - apela ao consumo, utilizando as funções apelativa e poética da linguagem e um discurso sedutor e persuasivo, rico em recursos estilísticos.
  • Marca - identificação do produto/serviço; aparece geralmente associada ao logótipo).
  • Imagem - a imagem publicitária é cuidadosamente preparada para nos prender o olhar. Através da cor, da originalidade, da associação inesperada, daquilo que nos mostra e sobretudo daquilo que nos sugere.

 

Características da linguagem publicitária

 

A linguagem publicitária utiliza um conjunto de recursos para dotar o texto de expressividade, expor as vantagens do produto/serviço e implicar o consumidor no processo publicitário.

Recursos para implicar o receptor: - diferentes tipos de frases:

 frases imperativas (Ex.: “Não saia de casa.”; “Descubra a diferença.”);

frases interrogativas (Ex.: “Foi você que pediu?”; “É a tua primeira vez?”);

frases exclamativas (Ex.: “Pelos vistos, não bastou dizer não!”);

 marcas da segunda pessoa: pronomes pessoais e possessivos; verbos (Ex.: “Faça uma pausa.”; “Para ti e para a tua família.”);

 marcas da primeira pessoa do plural, que implica o receptor (Ex.: “O automóvel com que todos sonhamos.”; “A nossa cerveja.”).

 

Recursos para elogiar a qualidade dos produtos:

- gradação de adjectivos e advérbios (Ex.: “O melhor bife da cidade.”; “Míele, sempre melhor”);

- outras formas de exprimir o superlativo: . prefixos (Ex.: “extrafino”; “superconcentrado”; “ultra-suave”); . repetição da mesma palavra (Ex.: “Branco mais branco não há.”).

 

Outros recursos expressivos:

- rima (Ex.: “Há mar e mar, / há ir e voltar”);

- aliterações (Ex.: “Quem tem Philips tem tudo”);

- hipérboles (Ex.: “IPSTM. O sistema de segurança que reage mais depressa que o perigo”); - repetições (Ex.: “Viva bem, viva com Becel”);

- antíteses (“Vá para fora cá dentro.”);

- metáforas e comparações;

- adjectivações (Ex.: “ Dercos. Um tratamento verdadeiramente completo que torna por mais tempo os cabelos saudáveis, limpos e sedosos”);

- jogos de palavras (Ex.: “Prova nas mais duras provas. Tintas Hempel, à prova do tempo”);

- expressões populares e provérbios transformados (Ex.: “Pão, pão, queijo, queijo ZECA.”; “No melhor sangue cai o HIV.”; “Quem sabe, sabe e o BES sabe.”; “Mais molhos que barriga.”). 

 

publicidade: estrutura de um anúncio publicitário

 

http://www.escolavirtual.pt/assets/conteudos/downloads/8por/8por220601.pdf

 

Sistematização e exercícios

http://www.redevalorizar.azores.gov.pt/redevalorizar/Portals/0/Documentacao/CLC_P/LC3CD_publicidade.pdf

 

Anúncios antigos:

https://www.youtube.com/watch?v=Vg6vEuHTpSQ 

Anúncio atual:

https://www.youtube.com/watch?v=GEgZEck-Mw8

publicado por OPTD às 14:24

Um blogue de apoio às minhas aulas e a todos os que gostam da Língua Portuguesa (e Francesa) e tudo...
Outubro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30
31


links
pesquisar
 
Contador (desde Julho 2009)

contador gratis
blogs SAPO