O Professor tira dúvidas

Novembro 26 2013

 

 

    

 

 

 

http://francahier.blogspot.pt/2013/03/les-professions-les-metiers.html

 

 

 

 


Le Futur Simple

 

ÉTUDIER

 

Demain,

 

J'étudier + ai, as, a ons, ez, ont


http://leconjugueur.lefigaro.fr/


 

http://www.francaisfacile.com/exercices/exercice-francais-2/exercice-francais-53549.php


http://www.francaisfacile.com/exercices/exercice-francais-2/exercice-francais-12020.php



TU ES FRANÇAIS.

 

1. TU ES FRANÇAIS?

 

2. ES-TU FRANÇAIS?*

 

3. EST-CE QUE TU ES FRANÇAIS?

 

http://www.lyricsfreak.com/a/abba/voulez+vous_20002999.html


 

QUI? quem?
QUAND? quando?
OÙ? onde?
COMMENT? como?

 

 

 

POURQUOI? porquê?
responde.-se sempre com PARCE QUE porque...

QUEL/QUELLE/

QUELS/QUELLES?

qual ou quais?
COMBIEN quanto?
publicado por OPTD às 16:22

Novembro 25 2013

Grupo III

 

Escolhe uma das hipóteses, escrevendo um texto organizado e correto entre 18 e 20 linhas.

 

A. O texto de Fernando Sabino fala do sonho de uma personagem, Fernando.

Escreve tu também um texto narrativo em que fales do sonho de uma personagem.

Não te esqueças de utilizar as categorias da narrativa (narrador, tempo, espaço, personagens...).

 

B. Escolhe uma personagem (à escolha, real, imaginária, inventada...) e faz a sua biografia, indicando:

nome, datas e locais de nascimento e morte, filiação, estudos, profissão, prémios, publicações,

episódios de vida, detalhes, curiosidades e outros detalhes que consideres importantes

(caso se aplique, são apenas exemplos), sempre numa ordem cronológica.

 

Bom trabalho!

publicado por OPTD às 15:36

Novembro 20 2013

O texto expositivo remete para a ideia de explanar ou explicar um assunto, tema, coisa, situação ou acontecimento, que se pretende desenvolver ou apresentar, em pormenor, referindo o tempo, o espaço, a importância ou as circunstâncias do seu acontecer.
O discurso expositivo tem por objetivo informar, definir, explicar, aclarar, discutir, provar e recomendar alguma coisa, recorrendo à razão e ao entendimento.
Na organização do texto expositivo, é necessário escolher o tema a desenvolver, definir o propósito que perseguimos ou os objetivos, conhecer o destinatário da exposição, pesquisar a informação sobre o tema, selecionar os dados de interesse, elaborar um guião com o plano do que se vai escrever ou dizer, estruturar de forma ordenada a informação, recorrer a materiais de suporte como imagens, gráficos, diagramas, slides em powerpoint ou flash...
O texto expositivo implica uma apresentação consequente e lógica do assunto, com articulação apropriada de partes relevantes. Daí a necessidade de o desenvolver ou apresentar, em pormenor, referindo o tempo, o espaço ou as circunstâncias.
Independentemente da realização comunicativa, é possível encontrar marcas distintivas na exposição oral e na exposição escrita. Na primeira, a apresentação do assunto deve ser consequente e lógica, com articulação apropriada de partes relevantes; e os argumentos apresentados devem ser pertinentes e eficazes. As razões e dados não necessitam de possuir clareza e precisão, mas têm de estar de acordo com o que se quer transmitir para que produzam efeito, quer seja na transmissão de uma informação, quer surjam como opinião, ou mesmo se o texto é de propaganda. Como, muitas vezes, a exposição oral é uma comunicação sem intercâmbio, qualquer enunciado deficiente não pode ser esclarecido e sofre, com frequência, interpretações diversas e que podem ser totalmente deturpadas. O cuidado a ter na organização das ideias e na estruturação do discurso tem de ser o melhor. O texto expositivo está associado com a análise e a síntese de representações conceptuais.
A exposição escrita surge, com frequência, sob as formas de texto informativo-expositivo ou expositivo-argumentativo. O informativo-expositivo tem por finalidade a transmissão de informações e indicações que digam respeito a factos concretos e referências reais; o expositivo-argumentativo procura defender uma tese, apresentando dados e observações que a confirmem. Deve expor com clareza e precisão as razões que levam à defesa de uma opinião sobre o tema.



Este texto é um texto expositivo...

publicado por OPTD às 16:18
Tags:

Novembro 20 2013

 

 

biografia

http://pt.wikipedia.org/wiki/Machado_de_Assis

 

ppt e tarefa escrita

http://www.slideshare.net/vandabarreto/histria-comum

 

"Planifica e redige um texto argumentativo em que assumas uma posição face à escravatura. (180-240 palavras)"

 

Texto argumentativo:

 

Geralmente apresenta uma estrutura organizada em três partes: a introdução, na qual é apresentada a concordância/oposição ao tema e uma breve justificação; o desenvolvimento, que fundamenta ou desenvolve a ideia principal; e a conclusão. Os argumentos utilizados para fundamentar a tese/opinião podem ser de diferentes tipos: exemplos, comparação, dados históricos, dados estatísticos, pesquisas, causas socioeconómicas ou culturais, depoimentos - enfim tudo o que possa demonstrar que o ponto de vista defendido pelo autor tem consistência. A conclusão pode apresentar uma possível solução/proposta ou uma síntese.

publicado por OPTD às 16:08

Novembro 19 2013

 

 

A frase é uma unidade linguística portadora de um sentido completo.

A frase é uma palavra ou conjunto de palavras que constitui um enunciado de sentido completo.

A frase não vem necessariamente acompanhada por um sujeito, verbo ou predicado. Por exemplo: «Cuidado!» é uma frase, pois transmite uma ideia - a ideia de ter cuidado ou ficar atento - mas não há verbo, sujeito ou predicado.
Regra geral, em Português a ordem mais habitual é SVO.
A frase define-se pelo propósito de comunicação, e não pela sua extensão. O conceito de frase, portanto, abrange desde estruturas linguísticas muito simples até enunciados bastante complexos.
 

Tipos de frase                                                        Intenção comunicativa/Ato ilocutório, e.g.

 

  • declarativa (.)                                             informar, prometer, descrever/assertivo, compromissivo
  • interrogativa (?)                                         levar o interlocutor a praticar uma ação/ diretivo
  • exclamativa (!)                                           exprimir sentimentos/ expressivo
  • imperativa (!, conselho, ordem, pedido)     pedir, ordenar,/diretivo

Forma

 

Frase ativa (centrada no agente)

 

O carteiro entregou a carta.

sujeito                     cd

 

Frase  passiva

 

A carta foi entregue pelo carteiro.

sujeito                        complemento agente da passiva

 

Frase simples (um verbo)

Frase complexa (mais do que um verbo)

 

Coordenação (junção de frases simples por meio de uma conjunção ou locução conjuncional)

Subordinação (uma frase depende da outra, subordinada, subordinante)

 

http://www.slideshare.net/mestrefinezas/coordenao-e-subordinao-22402041

http://www.slideshare.net/difaria/powerpoint-coordenao-e-subordinao-df5-ppt-22

 

 

Conjunções

 

http://www.notapositiva.com/resumos/portugues/frasesimplescomplexa.htm

 

*** 

 

Exercícios:

 

http://vamospelosonho.no.sapo.pt/conjcoord.htm  coord

 

http://vamospelosonho.no.sapo.pt/conjsub.htm  sub

 

http://www.prof2000.pt/users/reisana/coord.htm  coord e sub

 

 

 

A frase é constituída pelo Grupo Nominal GN (núcleo: nome), adjetival GAdj (adjetivo), verbal GV (verbo), preposicional GPrep (preposição), adverbial GAdv (advérbio)

 

Cada grupo tem na frase uma diferente função, connsoante a sua posição na frase

 

Funções sintáticas (ver ppt, grupo ES facebook ou http://www.slideshare.net/timosteos/novos-programas-de-portugus-ix ou http://www.slideshare.net/guidaclaro/funes-sintticas-13331068 npp 2009):

 

Sujeito

O mar parecia de prata.

simples  

O João foi à praia.

composto 

O João e a Maria foram à praia.

nulo subentendido

___ Abriu os olhos e sorriu.

nulo indeterminado

Disseram-me que não havia tpc., Estudava-se muito dantes.

nulo expletivo 

___ Choveu muito hoje.

 

predicado (o verbo e os seus complementos/modificadores)

O João e a Maria foram à praia.

 

complemento direto (geralmente à direita do verbo, um objeto, substituível por -o/a, os/as)

O homem comprou um ramo de flores. / O homem comprou-lhe o ramo de flores.

 

complemento indireto (geralmente à direita do c. direto, uma pessoa, substituível por -lhe/lhes)

O João deu um beijo à Maria. / O João deu-lhe um beijo.

 

complemento oblíquo (como o c indireto também pode começar por uma preposição (ou advérbio), mas não é substituível por -lhe, o que não for c. dir ou c. ind...)

Ele vem de autocarro., Faz bem à alma.

 

complemento agente da passiva  (por, pelo/a) 

O Presidente foi eleito pelo povo., O corpo foi abandonado., O livro foi comprado por mim.

 

modificadores (NÃO É PEDIDO PELO VERBO, acrescentam informação, modificam o verbo, podem ser omitidos ou móveis - TESTE ao Suj: Quem foi à escola? quem chegou a horas? Se não aparece na resposta não é complemento)

De manhã eu fui à escola., Eu fui à escola de manhã., Felizmente, o Luís chegou a horas.

 

predicativo do sujeito (ser, estar, continuar, ficar, parecer, permanecer, revelar-se, tornar-se...)

A mãe era azeda.

Ele ficou irritado.

Ele estava crescido.

Ele ficou em casa.

 

predicativo do complemento direto (achar, considerar, julgar, eleger)

Eles achavam a Ana estranha.

Nomearam a Rita delegada de turma.

 

vocativo (nome, entre vírgulas... não confundir com sujeito)

E vós, Tágides minhas,..., Manuel, vira-te para a frente!

 

modificador da frase (advérbios de modo...)

Decididamente era muito grave.

 

complemento do nome

Andei à procura de ti. , A ideia de que tudo se resolveria, deliciava-o momentaneamente.

 

modificador do nome

restritivo Leu o livro de Português., A mãe do António ligou.

apositivo (,,) D. Afonso Henriques, o conquistador, decidiu enfrentar os mouros.

 

complemento do adjetivo

Sou fácil de definir.

 

modificador do adjetivo (adv.)

O menino viu as moças bem vestidas.

Ele lutou contra os mais furiosos ventos.

 

 

Síntese e exercícios com correção

http://profpaulo.weebly.com/funccedilotildees-sintaacuteticas.html

 

 

publicado por OPTD às 16:23

Novembro 19 2013

http://tne.fct.unl.pt/mod/resource/view.php?id=777

 

 

 

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B3nio_Gede%C3%A3o

publicado por OPTD às 16:17

Novembro 18 2013

 

Pedra Filosofal

Eles não sabem que o sonho

é uma constante da vida

tão concreta e definida

como outra coisa qualquer,

como esta pedra cinzenta

em que me sento e descanso,

como este ribeiro manso

em serenos sobressaltos,

como estes pinheiros altos

que em verde e oiro se agitam,

como estas aves que gritam

em bebedeiras de azul.

 

eles não sabem que o sonho

é vinho, é espuma, é fermento,

bichinho álacre e sedento,

de focinho pontiagudo,

que fossa através de tudo

num perpétuo movimento.

 

Eles não sabem que o sonho

é tela, é cor, é pincel,

base, fuste, capitel,

arco em ogiva, vitral,

pináculo de catedral,

contraponto, sinfonia,

máscara grega, magia,

que é retorta de alquimista,

mapa do mundo distante,

rosa-dos-ventos, Infante,

caravela quinhentista,

que é cabo da Boa Esperança,

ouro, canela, marfim,

florete de espadachim,

bastidor, passo de dança,

Colombina e Arlequim,

passarola voadora,

pára-raios, locomotiva,

barco de proa festiva,

alto-forno, geradora,

cisão do átomo, radar,

ultra-som, televisão,

desembarque em foguetão

na superfície lunar.

 

Eles não sabem, nem sonham,

que o sonho comanda a vida,

que sempre que um homem sonha

o mundo pula e avança

como bola colorida

entre as mãos de uma criança.

 

In Movimento Perpétuo, 1956


publicado por OPTD às 16:44
Tags:

Novembro 13 2013

 

http://www.slideshare.net/anaarmindaazevedo/variedades-do-portugus-9530938 ppt

 

http://www.soportugues.com.br/secoes/curiosidades/Port_brasil_port_portugal.php

http://pt.wikipedia.org/wiki/Portugu%C3%AAs_brasileiro

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_diferen%C3%A7as_lexicais_entre_vers%C3%B5es_da_l%C3%ADngua_portuguesa

 

 

http://www.slideshare.net/claudiacosta1088/portugal-vs-brasil-cludia-costa ppt

publicado por OPTD às 17:17

Novembro 11 2013

Recapitulando...


A Bela Adormecida 


O Avião da Bela Adormecida http://www.releituras.com/ggmarquez_aviao.asp

 

1. Caracteriza a personagem masculina e feminina.

2. Indica o tipo de narrador e justifica.

3. Lê o texto seguinte e, com base na tua leitura do texto de García Márquez, escreve um comentário entre 70 e 120 palavras, em que opines sobre O avião da Bela Adormecida. Podes referir aspetos positivos e negativos do conto, justificando sempre e relacionando-os com a crítica seguinte e com o conto tradicional. 
«Em “O avião da Bela adormecida”, a mulher é simbolizada pelo silêncio, mas um silêncio que assume dimensões mais precisas que a própria ordem emitida verbalmente. A mulher, envolta em mínimas palavras, com poucas atitudes, domina toda a situação, fazendo tudo girar ao redor desse seu comportamento. A figura masculina age somente em resposta a esse comportamento: “Foi uma viagem intensa. Sempre acreditei que não há nada mais belo na natureza que uma mulher bela, de maneira que foi impossível para mim escapar um só instante do feitiço daquela criatura de fábula que dormia ao meu lado”. (...)
Em “O avião da Bela adormecida”, a mulher exerce domínio pela beleza, tanto que ela é conhecida por “Bela”, designação atribuída pelo personagem masculino. O homem lhe atribuiu esse adjetivo, e ela, sem palavras, acaba por condicionar o comportamento masculino, apenas por ser “Bela”. Nesse sentido, não há nenhuma manifestação em favor da mulher, somente é expressa a vontade masculina e a forma como o homem percebe a mulher: fonte de desejos e símbolo de conquista.
A organização espacial termina por mostrar que o universo feminino era fechado à presença masculina. O fascínio que isso exerceu no homem fez com que ele fosse imaginando o mundo dessa Bela mulher. Ele, movido pos atrações, despertas pelo físico da mulher, admite-se apaixonado por essa figura e completamente preso nesse mundo feminino, mas apenas como espectador (...).

O simples fato de a mulher estar no mesmo ambiente que o homem, o faz imaginar uma relação entre os dois. A impossibilidade de executar seus planos, o deixa sem reação, pois a sociedade, extremamente paternalista, atribui ao homem todas as ações, desde a conquista feminina à plena atuação e domínio do campo profissional. A mulher figura quase como uma peça na vida do homem, uma peça que lhe dá o suporte necessário para que esse consiga obter seus destaques e reconhecimentos dentro da sociedade.
García Márquez, ao silenciar a mulher no conto “O avião da Bela adormecida”, demonstra que ela tem poderes para influir no comportamento masculino, mas esses poderes vinculam-se diretamente à questão sexual, deixando de lado tudo aquilo que não se enquadra na figura feminina como fonte de desejo do sexo oposto.
A mulher é retratada pelo prisma masculino, o foco direcionado a ela é estanque e recai, com facilidade, nos atrativos físicos, porém, é o próprio comportamento que ela assume perante a figura masculina, que desencadeia toda a trama. O “não ver” o homem, acaba por despertá-lo e deixá-lo preso a ela, estando muito próximo fisicamente, mas distante de realizar o forte desejo de ser notado por ela. Observa, claramente, a distância que existe entre o desejo e a realidade que se apresenta ele:
“Como não parecia ter mais de vinte anos, me consolei com a idéia de que não fosse a aliança de um casamento e sim de um namoro efêmero. ‘Saber que você dorme, certa, segura, leito fiel de abandono, linha pura, tão perto de meus braços atados’, pensei, repetindo na crista da espuma de champanha o soneto magistral de Gerardo Diego.
Em seguida estendi a poltrona na altura da sua, e ficamos deitados mais próximos que numa cama de casal. O clima de sua respiração era o mesmo de sua voz, e sua pele exalava um hálito tênue que só podia ser o próprio cheiro de sua beleza”.
Uma questão que paira nas entrelinhas dos contos é o fato de a mulher ser independente, mas essa independência estar diretamente vinculada ao comportamento masculino. (...) Bela, é independente, no entanto, sua liberdade recai na simbologia que o ser feminino representa em toda a sociedade. A mulher é símbolo de segurança e estabilidade emocional e seus comportamentos seguem a linha do socialmente correto e aceito perante os olhos masculinos. (...)

O desejo masculino se torna tão obsessivo a ponto de imaginar cenas um tanto românticas, porém, ilusórias aos olhos humanos, mas verídicas sob a ótica das suas fantasias: “Em seguida estendi a poltrona na altura da sua, e ficamos deitados mais próximos que numa cama de casal. O clima de sua respiração era o mesmo da voz, e sua pele exalava um hálito tênue que só podia ser o próprio cheiro de sua beleza”.
A descrição da mulher em “O avião da Bela adormecida”, demonstra o forte poder de domínio e atração que a figura feminina exerce sobre o sexo masculino. Mesmo não tendo a intenção de seduzir o homem, acaba por exercer o domínio dos seus pensamentos, no começo, pelo simples fato de sua vestimenta e, posteriormente, por toda a sua conduta: “Estava vestida com um gosto sutil: jaqueta de seda natural com flores tênues, calças de linho cru, e uns sapatos rasos da cor das buganvílias. ‘Esta é a mulher mais bela que vi na vida’, pensei, quando a vi passar com seus sigilosos passos de leoa”.  Márquez faz um paralelo entre a fragilidade feminina, observada nas cores das roupas e a firmeza, vista na figura da leoa. Atribuindo passos de leoa à mulher, já dá indícios fortes que ela atuará sobre o homem, porém, de forma suave como a própria tonalidade de suas vestes.
O forte e misterioso poder de atração da figura feminina silencia as atitudes masculinas e conduz seus pensamentos por caminhos obscuros e fantasiosos, fazendo o homem fugir da realidade e viajar sem rumo para o mundo efêmero e onírico criado pela Bela: “Então contemplei-a palmo a palmo durante várias horas e o único sinal de vida que pude perceber foram as sombras dos sonhos que passavam por sua fronte como as nuvens na água”. (...)

O silêncio e a voz feminina foram bem representados por García Márquez  (...). A mulher atua como defensora de seus ideais de libertação frente ao universo masculino. Sua voz ganha força na tênue e singela figura de um ser feminino que age com delicadeza e perspicácia para alcançar seus sólidos objetivos: sobreviver em uma sociedade patriarcal, sendo reconhecida e respeitada pelos homens. O silêncio, que também marca a conduta feminina, pode ser interpretado como uma revolta aos comportamentos, mandos e desmandos masculinos, ou, sob outro ângulo, o silêncio revela a esperança que a mulher ainda tem de ser vista como frágil, porém, com decisões próprias. A voz e o silêncio figuram como pares e, ao fazer essa união um tanto insólita, Márquez nos mostra que a mulher tem representação perante o homem e consegue manter-se presente na sociedade, mesmo sem estar diretamente amparada ou protegida por um ser masculino. Voz e silêncio atuam como componentes decisivos para a conduta feminina e acabam por mostrar que, tanto um como o outro, tem força suficiente para sustentar a mulher dentro desse universo potencialmente masculino, mas que necessita do requinte e da delicadeza feminina para constituir-se como tal.»

4. Indica três aspetos da tradução que ilustram as diferenças entre o Português europeu e do Brasil, exemplificando. (consulta o post de 13/11/13)

5. Este conto relata a experiência de uma viagem. Conta também uma experiência de viagem, recorrendo às categorias da narrativa que já estudaste. No final do texto atribui um título ao teu relato, que deve ter entre 180 e 240 palavras.
publicado por OPTD às 21:48

Novembro 05 2013


A Ciberescola da Língua Portuguesa (www.ciberescola.com) e o sítio que lhe está associado (www.cibercursoslp.com) são propriedade da Associação Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, entidade sem fins lucrativos. Apresenta, de momento, 1500 exercícios interativos, vídeos, áudios e materiais em PDF de apoio à aprendizagem de português língua estrangeira, disponibilizados gratuitamente a alunos e professores. O único serviço que não é gratuito diz respeito aos cursos de Português Língua Estrangeira (PLE) a alunos adultos, dados através de videoconferência por professores pós-graduados em ensino de PLE (cf. http://www.cibercursoslp.com/equipa.html ), utilizando os recursos interativos de que já dispomos. 

Eis alguns exemplos dos materiais:


Testes diagnósticos:

http://www.cibercursoslp.com/testes-diagnosticos.html


Exercícios para utilizador livre:

http://www.ciberescola.com/?action=test&id=475247 (A2)

http://www.ciberescola.com/?action=test&id=475188 (B1)


Materiais de aula usados nos cursos:

http://www.ciberescola.com/index.php?action=demo-classes


Excerto de aula através de videoconferência:

http://www.youtube.com/watch?v=KdxHQCsLbio&feature=youtu.be


Vídeos de apoio ao ensino do PLE:

http://www.youtube.com/watch?v=qATH9LGTaTI

http://www.youtube.com/watch?v=KNY7AmVoVYo

http://www.youtube.com/watch?v=B4Bzm-o29lc

publicado por OPTD às 11:50

Um blogue de apoio às minhas aulas e a todos os que gostam da Língua Portuguesa (e Francesa) e tudo...
Novembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
14
15
16

17
21
22
23

24
27
28
29
30


links
pesquisar
 
Contador (desde Julho 2009)

contador gratis
subscrever feeds
blogs SAPO