O Professor tira dúvidas

Outubro 30 2011
 
Dies iræ, dies illa,
Solvet sæclum in favilla,
Teste David cum Sibylla !

Quantus tremor est futurus,
quando judex est venturus,
cuncta stricte discussurus !
 
~
S
-
Sempre há de ser melhor que os meus desenhos...
Reparem na casa de banho do vídeo 2, muito melhor do que aquilo de que vos falei...
E já vi os testes!
 
~
 
 
publicado por OPTD às 22:59

Outubro 27 2011

Custódia de Belém, Museu Nacional de Arte Antiga

http://www.google.pt/search?tbm=isch&hl=pt-PT&source=hp&biw=1024&bih=566&q=custodia+belem&gbv=2&oq=custodia+belem&aq=f&aqi=g1&aql=1&gs_sm=e&gs_upl=2109l8407l0l9735l16l16l1l3l3l0l234l2061l0.8.4l12l0

 

Compilaçam

http://www.google.pt/search?tbm=isch&hl=pt-PT&source=hp&biw=1024&bih=566&q=custodia+belem&gbv=2&oq=custodia+belem&aq=f&aqi=g1&aql=1&gs_sm=e&gs_upl=2109l8407l0l9735l16l16l1l3l3l0l234l2061l0.8.4l12l0#hl=pt-PT&gbv=2&tbm=isch&sa=1&q=compila%C3%A7ao+de+todalas&oq=compila%C3%A7ao+de+todalas&aq=f&aqi=&aql=1&gs_sm=e&gs_upl=31049l39097l0l39300l21l21l0l17l17l0l218l594l1.2.1l4l0&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.,cf.osb&fp=aab8f230ecdb99e&biw=1024&bih=566

 

 

Bosch, MNAA

http://www.google.pt/search?tbm=isch&hl=pt-PT&source=hp&biw=1024&bih=566&q=custodia+belem&gbv=2&oq=custodia+belem&aq=f&aqi=g1&aql=1&gs_sm=e&gs_upl=2109l8407l0l9735l16l16l1l3l3l0l234l2061l0.8.4l12l0#hl=pt-PT&gbv=2&tbm=isch&sa=1&q=bosch&oq=bosch&aq=f&aqi=g10&aql=1&gs_sm=e&gs_upl=26175l27612l0l27956l5l5l0l0l0l0l235l984l1.0.4l5l0&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.,cf.osb&fp=aab8f230ecdb99e&biw=1024&bih=566

 

 

Juízo Final, MNAA

http://www.google.pt/search?tbm=isch&hl=pt-PT&source=hp&biw=1024&bih=566&q=custodia+belem&gbv=2&oq=custodia+belem&aq=f&aqi=g1&aql=1&gs_sm=e&gs_upl=2109l8407l0l9735l16l16l1l3l3l0l234l2061l0.8.4l12l0#hl=pt-PT&gbv=2&tbm=isch&sa=1&q=juizo+final&oq=juizo+final&aq=f&aqi=g2g-S8&aql=1&gs_sm=e&gs_upl=54193l58631l2l58975l15l15l0l0l0l2l219l2298l1.9.4l15l0&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.,cf.osb&fp=aab8f230ecdb99e&biw=1024&bih=566

 

 

Divina Comédia, Dante

http://www.google.pt/search?tbm=isch&hl=pt-PT&source=hp&biw=1024&bih=566&q=custodia+belem&gbv=2&oq=custodia+belem&aq=f&aqi=g1&aql=1&gs_sm=e&gs_upl=2109l8407l0l9735l16l16l1l3l3l0l234l2061l0.8.4l12l0#hl=pt-PT&gbv=2&tbm=isch&sa=1&q=divina+comedia+dante&oq=divina+comedia+dante&aq=f&aqi=g1g-S3&aql=1&gs_sm=e&gs_upl=4954l5532l7l7939l2l2l2l0l2l0l0l0ll0l0&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.,cf.osb&fp=aab8f230ecdb99e&biw=1024&bih=566

 

 

Inferno, MNAA

http://www.google.pt/search?tbm=isch&hl=pt-PT&source=hp&biw=1024&bih=566&q=custodia+belem&gbv=2&oq=custodia+belem&aq=f&aqi=g1&aql=1&gs_sm=e&gs_upl=2109l8407l0l9735l16l16l1l3l3l0l234l2061l0.8.4l12l0#hl=pt-PT&gbv=2&tbm=isch&sa=1&q=inferno+mnaa&oq=inferno+mnaa&aq=f&aqi=g-S1&aql=1&gs_sm=e&gs_upl=27924l32300l9l32706l14l14l1l2l2l0l203l1749l1.9.1l11l0&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.,cf.osb&fp=aab8f230ecdb99e&biw=1024&bih=566

 

publicado por OPTD às 10:35

Outubro 27 2011
 
 
 

 http://fr.wikipedia.org/wiki/Tintin

 

 

 
+
 

 

 
 

 

publicado por OPTD às 10:23

Outubro 24 2011

 

Biografia e bibliografia

 

http://www.gilvicente.eu/autor/quem.html

http://alfarrabio.di.uminho.pt/vercial/gvicente.htm

http://cvc.instituto-camoes.pt/literatura/gil.htm

http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/portugues/portugues_trabalhos/gilvicente.htm

 

Auto da Barca do Inferno

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Auto_da_Barca_do_Inferno

texto

http://web.portoeditora.pt/bdigital/pdf/NTSITE00_BarcaInferno.pdf

ppt

http://www.slideshare.net/vestibular/o-auto-da-barca-do-inferno

 

vídeos

http://www.youtube.com/watch?v=s8w6qZ6CT2c

 

http://www.youtube.com/watch?v=rUwNDIF34B8

 

http://www.youtube.com/watch?v=oYJmsf4JtKU&feature=related

 

http://www.youtube.com/watch?v=oYJmsf4JtKU&feature=related

 

 

 

peça

 

http://www.youtube.com/watch?v=fVUCzs3k7C8&feature=related grupo Lethes I

 

http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=HF68snN8Ous grupo Lethes II

 

http://www.youtube.com/watch?v=s__t75KGzBM&feature=related escola brasileira

 

http://www.youtube.com/watch?v=PooLrBToFZE&feature=related fantoches...

 

publicado por OPTD às 08:06

Outubro 22 2011

Torre de Babel

http://pt.wikipedia.org/wiki/Torre_de_Babel

 

 

Indoeuropeu

 

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADnguas_indo-europeias

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_l%C3%ADnguas_indo-europeias

 

História da Língua Portuguesa e evolução linguística na Península Ibérica

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_l%C3%ADngua_portuguesa

 

https://docs.google.com/present/view?id=ddr26kmq_471f6vd8scc&revision=_latest&start=0&theme=blank&authkey=CNvhypMH&cwj=true

 

Contactos entre línguas

 

substrato - línguas pré-romanas, e.g.

superstrato - visigodos, e.g.

adstrato - galego, castelhano, e.g.

 

 

O modo como falamos a nossa língua altera-se de acordo com vários fatores.

Desde o Latim, passando pelo Latim vulgar, Galego-Português, Português antigo, clássico até ao contemporâneo muito mudou e muda na nossa língua.

 

http://linguaportuguesa9ano.wordpress.com/2009/04/15/fenomenos-de-evolucao-fonetica/

 

Os fenómenos mais comuns são:

 

Acrescento de segmentos

 

Prótese

Epêntese

Paragoge

 

Supressão de segmentos

 

Aférese

Síncope

Apócope

 

Alteração de segmentos

assimilação

dissimilação

metátese

sonorização

vocalização

nasalização ou nasalação

desnasalação ou desnasalização  Olá Milene!!!{#emotions_dlg.ok} S Z

 

crase

sinérese

palatalização

 

 

CAPITULUM>capitulu>capituu>capitu>cabido

ABSENTEM>absente>ausente

FENESTRAM>fenestram>feestra>fresta

CLAVEM>clave>chave

IBI>ii>i>aí

DAT>dá

IPSUM>ipsu>issu>isso

LILIUM>liliu>lírio

IESUS>Jesus

CANES>cães

ARENA>area>areia

PECTUM>pectu>peito

ANTE>antes

ARANEA>aranha

PEDEM>pede>pee>pé

DOLOREM>dolore>dolor>door>dor

LEGEM>lege>lee>lei

SEMPER>sempre

flor>flori

telefone>tlofone>tofone

restaurante>restorante

 

Na passagem do LAtim ao Português algumas palavras com origens diferentes convergiram numa mesma forma:

SANU

SANCTU são

SUNT

(convergentes)

 

Outras, pelo contrário, divergiram (divergentes):

ARENA arena areia

MACULA mácula mancha

CATEDRA cátedra cadeira

 

Definições

http://www.notapositiva.com/resumos/portugues/fenomenosfoneticos.htm

 

Exercícios

 

http://estudarmais.no.sapo.pt/PDFPortugues/fonetica2.pdf

http://agsbmessines.sytes.net/web/passatempo/lpo/9/barca/fenomenos.htm

http://www.colegioportugal.pt/historia_da_lingua.htm

 

 

 

 

publicado por OPTD às 19:00

Outubro 22 2011

 

A palavra além da sua representação escrita tem uma realização acústica, sonora.

O som é assim, resumidamente, o resultado da passagem do ar da expiração dos pulmões pelas cordas vocais, com a intervenção da língua, dentes, palato, cavidade oral e nasal, úvula... o que produz uma sequência sonora a que associamos um significado.

 

 

Os sons das línguas são representados pelo (alfabeto fonético internacional) AFI entre parêntesis retos:

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Alfabeto_fon%C3%A9tico_internacional

 

 

 

Consoante o sítio e o modo como o som é produzido os fonemas vocálicos classificam-se em

vogais

orais

nasais

 

anteriores

médias

posteriores

 

e

 

abertas é á ó

médias ê â ô

fechadas i u

 

Os consonânticos classificam-se em

consoantes

 

(modo de articulação)

oclusivas p t k b d g

fricativas f s ch v z j

nasais m n nh

laterais l lh

vibrantes r R

 

surdas ou sonoras

 

(ponto de articulação)

labiais

dentais

alveolares

palatais

velares

 

semi-vogais

j viagem

w água

 

http://www.uiowa.edu/~acadtech/phonetics/spanish/frameset.html

 

 

 

 

 

publicado por OPTD às 18:19
Tags: ,

Outubro 20 2011

 

O mundo não nasceu connosco. Essa ligeira ilusão é mais um sinal da imperfeição que nos cobre os sentidos. Chegámos num dia que não recordamos, mas que celebramos anualmente; depois, pouco a pouco, a neblina foi-se desfazendo nos objectos até que, por fim, conseguimos reconhecer-nos ao espelho. Nessa idade, não sabíamos o suficiente para percebermos que não sabíamos nada. Foi então que chegaram os professores. Traziam todo o conhecimento do mundo que nos antecedeu. Lançaram-se na tarefa de nos actualizar com o presente da nossa espécie e da nossa civilização. Essa tarefa, sabemo-lo hoje, é infinita.

O material que é trabalhado pelos professores não pode ser quantificado. Não há números ou casas decimais com suficiente precisão para medi-lo. A falta de quantificação não é culpa dos assuntos inquantificáveis, é culpa do nosso desejo de quantificar tudo. Os professores não vendem o material que trabalham, oferecem-no. Nós, com o tempo, com os anos, com a distância entre nós e nós, somos levados a acreditar que aquilo que os professores nos deram nos pertenceu desde sempre. Mais do que acharmos que esse material é nosso, achamos que nós próprios somos esse material. Por ironia ou capricho, é nesse momento que o trabalho dos professores se efectiva. O trabalho dos professores é a generosidade.

Basta um esforço mínimo da memória, basta um plim pequenino de gratidão para nos apercebermos do quanto devemos aos professores. Devemos-lhes muito daquilo que somos, devemos-lhes muito de tudo. Há algo de definitivo e eterno nessa missão, nesse verbo que é transmitido de geração em geração, ensinado. Com as suas pastas de professores, os seus blazers, os seus Ford Fiesta com cadeirinha para os filhos no banco de trás, os professores de hoje são iguais de ontem. O acto que praticam é igual ao que foi exercido por outros professores, com outros penteados, que existiram há séculos ou há décadas. O conhecimento que enche as páginas dos manuais aumentou e mudou, mas a essência daquilo que os professores fazem mantém-se. Essência, essa palavra que os professores recordam ciclicamente, essa mesma palavra que tendemos a esquecer.

Um ataque contra os professores é sempre um ataque contra nós próprios, contra o nosso futuro. Resistindo, os professores, pela sua prática, são os guardiões da esperança. Vemo-los a dar forma e sentido à esperança de crianças e de jovens, aceitamos essa evidência, mas falhamos perceber que são também eles que mantêm viva a esperança de que todos necessitamos para existir, para respirar, para estarmos vivos. Ai da sociedade que perdeu a esperança. Quem não tem esperança não está vivo. Mesmo que ainda respire, já morreu.

Envergonhem-se aqueles que dizem ter perdido a esperança. Envergonhem-se aqueles que dizem que não vale a pena lutar. Quando as dificuldades são maiores é quando o esforço para ultrapassá-las deve ser mais intenso. Sabemos que estamos aqui, o sangue atravessa-nos o corpo. Nascemos num dia em que quase nos pareceu ter nascido o mundo inteiro. Temos a graça de uma voz, podemos usá-la para exprimir todo o entendimento do que significa estar aqui, nesta posição. Em anos de aulas teóricas, aulas práticas, no laboratório, no ginásio, em visitas de estudo, sumários escritos no quadro no início da aula, os professores ensinaram-nos que existe vida para lá das certezas rígidas, opacas, que nos queiram apresentar. Se desligarmos a televisão por um instante, chegaremos facilmente à conclusão que, como nas aulas de matemática ou de filosofia, não há problemas que disponham de uma única solução. Da mesma maneira, não há fatalidades que não possam ser questionadas. É ao fazê-lo que se pensa e se encontra soluções.

Recusar a educação é recusar o desenvolvimento.

Se nos conseguirem convencer a desistir de deixar um mundo melhor do que aquele que encontrámos, o erro não será tanto daqueles que forem capazes de nos roubar uma aspiração tão fundamental, o erro primeiro será nosso por termos deixado que nos roubem a capacidade de sonhar, a ambição, metade da humanidade que recebemos dos nossos pais e dos nossos avós. Mas espero que não, acredito que não, não esquecemos a lição que aprendemos e que continuamos a aprender todos os dias com os professores. Tenho esperança.

 

Artigo de José Luís Peixoto, publicado na revista Visão de 13 de Outubro de 2011

 

publicado por OPTD às 19:40

Outubro 18 2011

grupo I

 

1.1 b

1.2 c

1.3 d

 

2 Os premiados são designados narradores da memória porque são porta-vozes e intérpretes das memórias dos lugares, e de um conjunto de informações muito importante para a memória coletiva.

 

3 As pessoas premiadas vivem isoladas nas aldeias, nos lares de terceira idade ou nos centros de dia.

 

grupo II

 

parte A

1. d, e, a, g, c, f, b

2 O conto desenvolve-se a partir do momento em que o rei lança um desafio aos três filhos, que consiste em atirar uma pedra o mais longe que puderem, de forma a encontrarem a respetiva noiva.

3 Duas das peripécias são, por exemplo, a apresentação, pelo filho mais novo, da noz ao rei, de onde sai uma fina tela interminável, e o momento da transformação da rã em princesa.

4 A personagem principal é a rã, uma vez que é ela que soluciona, da melhor forma, todos os desafios lançados pelo rei.

5.1 c

5.2 c

6 O aluno y cita o provérbio que melhor se aplica a este conto, pois todos julgaram negativamente a rã somente pelo seu aspeto exterior.

 

parte B

 

7 Calvin deseja oferecer a Susie um ramo de flores no dia dos namorados, no entanto procura flores murchas, facto que surpreende a vendedora. Na primeira tira, Calvin conversa com Hobbes, mostrando-lhe que está a escrever um cartão em forma de coração para Susie, mas a mensagem não é carinhosa, como seria expectável.

8 No dia dos namorados, seria esperado que Calvin enviasse um bonito ramo a Susie e uma mensagem que traduzisse o seu carinho pela amiga, porém o menino acaba por oferecer-lhe flores murchas e um cartão dizendo que a odeia.

9 Na terceira tira, são destacadas as palavras de Susie, que retribui a oferta de Calvin, ofendendo-o verbalmente, chamando-lhe «cabeça de alho chocho».

10 Na última vinheta, destaca-se a palavra«gosta», uma vez que esta é repetida nos balões de pensamento de Susie e Calvin. Este destaque demonstra que as personagens nutrem afeto uma pela outra, apesar de não conseguirem demonstrá-lo por palavras, ou seja, têm um problema de comunicação.

 

grupo III

 

1 O princípio de cortesia não é respeitado porque Calvin afirma, no cartão do dia dos namorados «Susie, odeio-te...» Susie retribui a ausência de cortesia, gritando-lhe «Calvin, cabeça de alho chocho»

2 a/ d

3 diário, anelar

4 duas

5

a o filho mais novo trazia consigo a noz dada pela noiva.

b comprei-vos este livro

c gostaria de lhes recontar esta história

d posso ler o texto convosco

 

6

a 4

b 3

c 1

d 2

 

7

a não só

b como também

c pois

d mas

 

grupo IV

 

resposta livre

publicado por OPTD às 14:25

Outubro 09 2011

 

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Periodização_da_História

 

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cronologia_da_História_do_Mundo

 

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Cronologia_da_história_de_Portugal

 

publicado por OPTD às 23:20
Tags:

Outubro 09 2011


http://www.notapositiva.com/resumos/portugues/figurasdeestilo.htm

 

 

http://esjmlima.prof2000.pt/figuras_estilo/figuras_estilo.html

 

 

teste

http://www.prof2000.pt/users/vazluis/figestilo.htm

 

publicado por OPTD às 23:15

Um blogue de apoio às minhas aulas e a todos os que gostam da Língua Portuguesa (e Francesa) e tudo...
Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
19
21

23
25
26
28
29

31


links
pesquisar
 
Contador (desde Julho 2009)

contador gratis
subscrever feeds
blogs SAPO